Suspeita de falsificação fecha mostra de Dalí

A polícia disse hoje que cancelou uma exposição de obras do pintor espanhol Salvador Dalí e prendeu as 400 peças que estavam em exibição, sob suspeita de que muitas delas fossem falsas. Os policiais invadiram a mostra ontem depois de uma série de denúncias de colecionadores de arte que suspeitaram que os trabalhos impressos que haviam comprado não eram verdadeiros. ?Também recebemos uma série de ligações de conhecedores de arte que estiveram na exposição?, disse Jyrki Seppala da polícia de Helsinki. A mostra de Helsinki, que seria uma comemoração dos 100.º aniversário do artista, nascido em 11 de maio, foi organizada pela empresa Artco Scandinavia, e inaugurada no final de maio, com previsão de encerramento amanhã. Os organizadores disseram que seriam exibidas obras de Dalí de diversos períodos, inclusive esculturas e gravuras. Seppala disse que os investigadores da polícia e especialistas em arte terão estimativas do número de obras falsificadas em uma semana. Todos os trabalhos expostos estão sob investigação. ?Há vários trabalhos sob suspeita. Para alguns deles, podemos precisar ajuda de especialistas estrangeiros. Alguns são óbvios para nós, apenas usando uma lupa?, disse Seppala. Possíveis acusações relacionadas ao caso podem incluir fraude, falsificação e violação de direitos autorais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.