Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Surpresas de Marieta

Filme, peça e a eterna Nenê da TV impõem a força de uma grande atriz

Luiz Carlos Merten / RIO,

07 de agosto de 2013 | 07h35

Durante cerca de 30 anos, o período que durou seu casamento com Chico Buarque, Marieta Severo dava a impressão de viver à sombra do grande homem. Ela não concorda. “É, olhando de fora, pode parecer, mas nunca deixei de brigar pelo meu espaço. Só que, naquela época, ele parecia menor. O Chico estourou muito cedo. Seria candidata ao manicômio se brigasse pelo mesmo espaço que ele.”

 

O repórter observa que Nicole Kidman lhe disse a mesma coisa sobre seu casamento com Tom Cruise. Só depois que se separou dele ela obteve pleno reconhecimento para seu talento de atriz e virou estrela. Marieta acrescenta humorada - “Se equiparar a ele, ou eu ao Chico, seria a verdadeira missão impossível”. Mas hoje os tempos são outros, e Marieta está no auge. Cinema, teatro e televisão, ela deixa sua marca em toda as mídias.

 

O público adora Nenê, a mãe de A Grande Família. Nenê é 100% confiável para as telespectadoras. A mãe dedicada, ética. Para o público que identifica atriz e personagem, será como se tivesse dado a louca em Nenê quando Vendo ou Alugo bater na tela na sexta-feira. A nova comédia de Betse de Paula marca a virada da roteirista e diretora (e também atriz). Durante dez anos, Betse viveu não propriamente no ostracismo, mas no seu canto, tentando fazer seu cinema. Ela ouviu muito não quando apresentava o projeto de Vendo ou Alugo. A produtora Mariza Leão finalmente lhe deu o sim.

 

É como se tivessem nascido uma para a outra, e Betse, em geral refratária a todas as tentativas de intervenção no seu ‘método’, acatou as sugestões de Marisa porque percebeu que elas só somavam ao que pretendia fazer e dizer com Vendo ou Alugo. “É o filme mais politicamente incorreto que já fiz. Mexemos algumas coisas no roteiro, mas para melhorar, não atenuar”, diz a produtora. Marieta concorda que a ‘incorreção’ foi o que a atraiu no projeto. Para quem não gosta de se repetir, como ela, nada como um bom desafio.

 

A socialite falida de Vendo ou Alugo é um desafio, mas o público, acostumado a ver Marieta fazer comédia em A Grande Família, talvez pense que seja fácil para ela interpretar uma personagem como a de Vendo ou Alugo. Não é não. O problema é que a comédia não dispõe da reputação do drama, que conta mais para a glória dos atores. Ela provavelmente vai receber muito mais elogios por sua coragem em montar no Brasil - com o namorado, o diretor Aderbal Freire-Filho - a peça do dramaturgo libanês Wajdi Mouawad que inspirou o filme Incêndios, de Denis Villeneuve. Uma tragédia, sucedendo a uma comédia? “É isso mesmo. Gosto de mudar”, Marieta define. Seu público agradece. Com ela, o espectador sempre pode esperar ser surpreendido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.