Surfista intensifica aventuras de ´Quarteto Fantástico 2´

Participação do cultuado personagem faz valer a pena ver o novo filme da turma

Agencia Estado

07 de julho de 2002 | 10h06

No final de 2005, quando QuartetoFantástico era lançado em DVD no Brasil, o diretor Tim Storyconcordava com a crítica de que a trama era fraca. Admitia queprimeiros filmes de séries são sempre complicados, porque épreciso apresentar os personagens. A própria história que uniaos heróis não era muito consistente, porque ele não haviaconseguido trabalhar diretamente com o roteirista. Mas Tim Storyprometeu - há quase dois anos - que a seqüência seria melhor.Prometeu e cumpriu. Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado,que estréia nesta sexta-feira, 29, é bem melhor que o primeiro filme. Achegada do "Surfista", personagem cult das HQs, contribui, emuito, para a intensificação dramática do relato.É verdade que dizer que o filme é melhor não chega a animarmuita expectativa, porque o anterior, embora tenha rendido muito, nunca chegou a deslanchar como espetáculo de ação, apoiando-senos efeitos para disfarçar as falhas da trama e do roteiro. OSurfista Prateado coloca o Quarteto - e o diretor Story - emoutro patamar. O filme é bom. Recordando 2005, o Story compara. "Desta vez, haviam condiçõesmais favoráveis. O estúdio (a Fox) ficou satisfeito com odesempenho do primeiro filme e me deu carta-branca paradesenvolver o roteiro. Sugeri o "Surfista" e eles toparam. Omelhor de tudo é que desta vez trabalhei com os roteiristas.Defini com Mark Frost a linha da história e depois, com DonPayne, criamos o roteiro." História do SurfistaO Surfista é um personagem que carrega uma carga melodramáticamuito forte. No início, ele chega a dizer que não tem outraopção senão servir a Galactus, o devorador de mundos que ameaçaa Terra. Mas com Sue Storm, a Mulher Invisível, que lhe lembraseu grande amor, o Surfista descobre que pode (e deve) fazer umaescolha. Este personagem traz para a trama não apenas o amor,mas o conflito interno. "O que mais me atrai nele é a compaixão.O Surfista tem extrema consciência de ser um personagem trágico".Para potencializar o que ele representa na trama, Story juntouelementos de diferentes épocas na série de HQs criada por StanLee e Jack Kirby no começo dos anos 60. O Casamento do Século,entre Reed Richards, o Sr. Fantástico, e Sue Storm, é de1965. A entrada do Surfista nas séries data do ano seguinte eo encontro com Dr. Destino é ainda posterior. "Começamos a escrever no fim de 2005 e em três, quatro meses játínhamos delineada a nossa história, à qual acrescentamoselementos de uma série mais recente, Ultimate Extinction." Ofato de o Surfista ser um personagem criado no computador enão de carne e osso, como os integrantes do Quarteto e otirano Victor van Doon, permitiu que ele fosse construídoexatamente com o look dos quadrinhos.MulheresIsso foi uma vantagem, mas, como sempre nesse tipo de filmebaseado em efeitos, houve a contrapartida. "Tudo o que criávamosprecisava ser submetido a uma consultoria técnica, para manter ofilme dentro do orçamento", explica Tim Story. Até para coletar informações sobre o novo personagem que restavaagregando ao filme, o diretor disse que teve de fazer umaextensa pesquisa sobre o Surfista Prateado. Mas ele admite quenão conhecia o filme de Jim McBride A Força de Um Amor, remakede Acossado, de Jean-Luc Godard. No filme americano, opersonagem de Richard Gere, Jesse Lujack, que comete umassassinato gratuito - sua arma dispara e, por isso, o diretorusa imagens de Gun Crazy, de Joseph Lewis, que se chamou, noBrasil, Mortalmente Perigosa -, tem verdadeira fixação peloSilver Surfer. "Você é a segunda pessoa que me diz isso. Conheçoo original de Godard, mas não o remake. Agora, fiquei curioso."De Godard pode-se passar para François Truffaut, porque TimStory é um homem que, como o diretor francês, ama as mulheres. Acomédia Táxi, que ele dirigiu antes de Quarteto Fantástico,podia ser ruim, mas Gisele Bündchen estava muito bonita (o que,no caso dela, não é pedir muito). Jessica Alba, que faz SueStorm, consegue ser ainda mais sexy em Quarteto Fantástico e oSurfista Prateado.Crise existencial"Jessica não é só esse corpão que você vê na tela, ela também émuito doce e cooperativa. Tem idéias sobre a personagem e émuito receptiva a tudo o que puder ser feito para tornar SueStorm mais humana e interessante." Diante da confusão provocadapelo Casamento do Século, Sue se indaga sobre o sentido da vidaque Reed Richards e ela levam. Se a vida deles for sempre aqueleevento midiático, jamais poderão ter filhos e construir umafamília. Richards chega a pensar em desistir de ser super-herói."Gosto muito da concepção de família embutida no Quarteto", dizo diretor. "Outros heróis dos quadrinhos têm vidas familiarescomplicadas, até para justificar seus superpoderes. No caso doQuarteto, temos a relação de Sue com o irmão, Johnny Storm, oTocha Humana, mas o conceito de família é o que integra oQuarteto, como quatro desajustados que se unem para dar novosentido a suas vidas." À tragédia pessoal do Surfista somam-se o casamento semprepostergado de Richards e Sue e a irresponsabilidade amorosa deJohnny, o Tocha, que gera uma das melhores piadas do filme - ado buquê de noiva, no desfecho. "O Surfista nos liberou paratudo", diz o diretor. "Inserimos mais cenas perigosas, mais ação, mais romance e mais humor, também." Vai surgir QuartetoFantástico 3? "O estúdio ainda não se manifestou, mas o sucessodo Quarteto e o Surfista Prateado deve produzir outraseqüência." Tim Story já pensa nela? "A série oferece muitaspossibilidades. Talvez a Negative Zone." Mas ele revela - estátrabalhando em outro projeto, outra série da DC Comics, TheLosers. Quarteto Fantástico e O Surfista Prateado (FantasticFour: Rise of the Silver Surfer, EUA/ 2007, 92 min.) - Aventura. Dir. Tim Story. 10 anos. Cotação: Bom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.