Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
AP/Reprodução
AP/Reprodução

Suposto vídeo de Lindsay Lohan roubando colar é divulgado

Imagens do suposto vídeo foram exibidas pelo programa 'Entertainment Tonight', do canal 'CBS'

Efe,

08 de março de 2011 | 16h01

Um vídeo gravado pela câmera de segurança da loja onde a atriz Lindsay Lohan supostamente roubou um colar avaliado em US$ 2,5 mil foi comprado e exibido pelo programa "Entertainment Tonight", do canal "CBS", informa nesta terça-feira a imprensa americana.

O vídeo, exibido na noite de segunda-feira, deixa claro o que ocorreu no interior do estabelecimento, sustentou um porta-voz da loja em comunicado.

"Em relação à questão da culpabilidade ou inocência de Lindsay Lohan, repetimos que Kamofie and Company nunca deu permissão à Lindsay para levar o colar da loja", comentou Christopher Spencer. "O restante está nas mãos da Justiça", acrescentou.

Além disso, Spencer explicou o que levou os responsáveis da loja a tornar público o vídeo.

"Pensamos que havia muita especulação sobre a gravação e que as pessoas queriam ver o vídeo", apontou. "O vídeo seria divulgado durante o julgamento de qualquer forma e torná-lo público não viola nenhuma lei. Pensamos que isto não terá nenhum impacto durante o julgamento", acrescentou.

Lindsay compareceu a um tribunal de Los Angeles no dia 23 de fevereiro para uma segunda audiência sobre o caso. A atriz tinha se declarado inocente anteriormente e participará do julgamento nesta quinta-feira.

Segundo a imprensa, a acusação procura várias provas além do vídeo, já que poderia contar com diversas fotografias tiradas em dias posteriores ao suposto roubo onde a atriz aparece com o colar. EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Lindsay LohanCBSroubo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.