Sturges e os contrastes da 'América'

Tá Dando Onda

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2012 | 03h10

16 H NA GLOBO

(Surf's Up). EUA, 2007. Direção de

Ash Brannon e Chris Buck.

Narrada como um falso documentário, a história de pinguim que deixa seu habitat para participar de campeonato de surfe numa ilha do Havaí. Animação com personagens simpáticos e cenas eletrizantes, como as da grande onda que o herói atravessa para 'fluir'. Mas o bom é ver em versão original, com as vozes de Shia Leboeuf e Jeff Bridges. Reprise, colorido, 89 min.

Ventos da Liberdade

22 H NA CULTURA

(The Wind That Shakes the Barley). Alemanha/ Espanha/ França/ Irlanda/Inglaterra, 2006. Direção de Ken Loach, com Cillian Murphy, Padraic Delaney, Liam Cunningham, Gerard Kearney, Orla Fitzgerald, Frank Bourke.

O horário da Mostra exibe este típico filme do inglês Loach sobre a questão irlandesa. A história passa-se em 1920 e trata da relação entre dois irmãos que se integram à luta armada contra os britânicos. Uma possibilidade de acordo (na guerra) os coloca em lados opostos. Caim e Abel no estilo urgente do cineasta. Reprise, colorido, 127 min.

Indo Até o Fim

23 H NA REDE BRASIL

(Going All The Way). EUA, 1997. Direção de Mark Pellington, com Jeremy Davies, Ben Affleck, Amy Locane.

Em 1954, o reencontro de dois jovens de Indianópolis que foram recrutados para a Guerra da Coreia. Um permaneceu numa fase dos EUA, o outro foi ferido em combate na Ásia. E agora eles estão voltando. Ben Affleck pode não ter dado muito certo como herói de ação, e bem que tentou. Mas, como diretor, é ótimo. Este filme seria melhor, se ele o tivesse realizado. Reprise, colorido, 103 minutos.

A Morte Pede Carona

0 H NA RECORD

(The Hitcher). EUA, 2007. Direção de Dave Meyers, com Sean Bean, Sophia Bush, Zachary Knighton, Neal McDonough.

O remake do filme famoso de Robert Harmon, de 1986, repete a história do casal que dá carona a um desconhecido na estrada e o cara se revela louco de pedra, fazendo os dois de reféns. Sean Bean convence ao repetir o papel de Rutger Hauer no original e há boas cenas de ação de carros, mas o próprio original já era supervalorizado. A novas versão é, no limite, desnecessária. Reprise, colorido, 84 min.

TV Paga

Contrastes Humanos

14 H NO TCM

(Sullivan's Travels). EUA, 1941. Direção de Preston Sturges, com Joel McCrea, Veronica Lake, Robert Warwick, William Desmarest.

A obra-prima do diretor e roteirista Preston Sturges surgiu no mesmo ano em que John Ford ganhou seu terceiro Oscar de direção por Vinhas da Ira, adaptado do romance de John Steinbeck. Ford contava a história da odisseia de uma família durante a depressão econômica dos anos 1930. Sturges conta a história de diretor consagrado por suas comédias, mas que se cansa do material frívolo com que costuma trabalhar. Ele se põe na estrada para pesquisar para um filme que realmente exponha os contrastes humanos da 'América' durante a depressão, mas vira mendigo de verdade e... A riqueza de observações, o humor, o elenco, tudo faz deste filme um clássico que vale conhecer. Reprise, preto e branco, 90 min.

Jardim do Pecado

14H45 NO TELECINE CULT

(Garden of Evil). EUA, 1954. Direção de Henry Hathaway, com Gary Cooper, Susan Hayward, Richard Widmark, Hugh Marlowe, Cameron Mitchell,

Rita Moreno.

Trio liderado por ex-xerife é contratado por mulher para localizar (e resgatar) o marido dela que desapareceu em território dos apaches, no Novo México. O grande Hathaway sempre valorizou a paisagem em seus bangue-bangues e aqui filmou em áreas de rocha vulcânica, que produzem um estranhamento visual. A trilha de Bernard Herrmann, o grande compositor de Alfred Hitchcock, cria suspense quando as relações do grupo se tornam tensas. Mas o fascínio do filme vem mesmo do elenco. Gary Cooper, um dos grandes ícones masculinos de Hollywood, Susan Hayward, que se autodefinia como operária da interpretação. Você não vai desgrudar o olho deles. Em 1966, Richard Brooks reuniu outro grupo de mercenários para resgatar uma mulher sequestrada por revolucionários mexicanos. A história não era bem assim em Os Profissionais. Desconfie das aparências aqui também. Reprise, colorido, 100 min.

Os Desafinados

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2008. Direção de Walter Lima Jr., com Rodrigo Santoro, Selton Mello, Cláudia Abreu, Ângelo Paes Leme, Jair Oliveira, André Moraes, Alessandra Negrini, Ailton Graça.

Mistura de samba com jazz, ou blues, a bossa nova é metáfora perfeita para os personagens deste filme que evoca os primórdios do movimento (e o célebre show no Carnegie Hall, em 1962). Eles formam um conjunto musical e vivem divididos - nos EUA, sentem falta de casa, no Brasil; aqui, acham que deviam estar construindo lá suas carreiras. O filme é sobre esse grupo de desafinados. Mas onde é mesmo que eles 'desafinam'? Na arte ou na vida? O próprio diretor parece deslocado. Lima Jr. é melhor em filmes que expressam seu gosto por um panteísmo lírico. Reprise, colorido, 131 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.