Stephen Frears estreia em graphic novel

Stephen Frears está mostrando no 63.º festival, fora de concurso, seu novo longa, Tamara Drewe, baseado numa graphic novel. A sexy Gemma Arterton, de Fúrias de Titãs - que estreia hoje em São Paulo -, é a estrela. Vejam o que Frears acha de estar de volta à Croisette.

CANNES, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2010 | 00h00

Sobre o filme. "Tenho tido bastante sorte na minha carreira. Enviam-me com frequência bons roteiros, alguns tão bons que eu só tenho de procurar não estragá-los. Nunca havia adaptado uma graphic novel, nem este é um universo pelo qual seja muito atraído. Mas não dá para resistir a uma história contemporânea em que um canalha é morto pelo estouro da boiada provocado pelo cachorro de um roqueiro."

Sobre a atriz (Gemma Arterton). "Não vi nada que ela havia feito antes (NR - "Quantum of Solace", por exemplo), mas não precisei mais do que alguns minutos com Gemma para perceber que, além de beleza, ela tem talento. Gemma cria empatia com o público. Quando está em cena, todo mundo se liga, querendo saber o que vai ocorrer com ela."

Sobre as eleições inglesas. "O problema não é o retorno dos conservadores (Tories) ao poder, mas o que Tony Blair fez com o Labour (o Partido Trabalhista). Quando os trabalhistas chegaram ao poder, após a era Thatcher, representavam a esperança. Blair era um autoritário com um sonho napoleônico. Ele instituiu um sistema coercitivo/repressivo na Inglaterra. Se os conservadores conseguirem desmontar a máquina de vigilância que criou, serão heróis da pátria. E terão meu apoio, de mim que era tão contrário a Thatcher." / L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.