Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

SPFW Dia 4 – Balanço

Paula Raia escolheu sua própria casa como cenário de sua estreia solo na SPFW. O desfile, que marca também o lançamento de sua propria grife, após a separação de Fernanda de Goeye, abriu o dia com ares de brunch para os amigos. A passarela foi montada nos jardins da casa, garçons serviam Bellini e Cosmopolitan, a sala de estar virou backstage…

Flavia Guerra,

16 Junho 2011 | 22h12

Na ‘passarela’, a festa começou com a apresentação de street dance do grupo Anacã de dança. Em seguida, a coleção trouxe looks que tem ares de Raia de Goeye, mas agora com a leitura de Paula. Natural. “É claro que há características do trabalho que fazia com a Raia de Goeye. Só que agora o olhar é o meu, que se mantém, mas avança”, contou a estilista.

A coleção trouxe looks masculinos. O ‘homem Paula Raia’ veste cardigã e calça cenoura, é urbano, mas sem perder a leveza, como a mulher Paula Raia. Nas cores, o verão chega pesado com o laranja, que abre o desfile e segue em diversos outros looks. A sofisticação chega nos vestidos em tons de vinho. Já os tons de cru e azul dão o toque despojado na medida a peças trabalhadas em vazados, cortes assimétricos e boas sacadas que ora mostram ora escondem a pele. A cintura por vezes é alta, mas em geral baixa e até marcada, mas que contrasta bem com os tecidos fluidos e as transparências.

A Maria Bonita também investiu nos vazados, nas texturas e nos novos tecidos. Inspirada pela cultura portuguesa, a estilista Danielle Jensen evocou um Portugal nada óbvio. Estavam lá os azulejos, os bordados, o ‘azul Portugal’, mas estes ingredientes chegavam em peças originais como o vestido confeccionado com o ‘tecido mais leve do mundo’. Composto por viscose, poliéster e poliamida, é transparente e fazia com que as aplicações de ‘azulejos de papel’ parecessem flutuar na passarela. A paleta de cores é clássicas, com destaque para o cru, o branco, azul claro, o amarelo e o vinho.As peças-chave são os macacões soltinhos, que traziam uma sensualidade ‘por um fio’ (de ouro, a propósito), regatas, vestidos e saia longa, álém dos já clássicos blazers.

Mais conteúdo sobre:
SPFW

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.