SP Fashion Week barra modelos com menos de 16 anos

Mais uma polêmica está movimentando o mundo da moda. Depois de milhares de debates sobre anorexia, motivados pela morte da modelo Ana carolina Reston, de 21 anos, no dia 14 de novembro, as meninas com menos de 16 anos não poderão mais desfilar na São Paulo Fashion Week. No mesmo pacote de mudanças, que começa a valer na próxima edição, em janeiro, na semana que vem será lançada uma campanha de informação, que ainda não recebeu nome, sobre distúrbios alimentares. Segundo o organizador da semana de moda, Paulo Borges, a decisão foi tomada junto com as agências para que as meninas cheguem aos grandes eventos mais maduras. Além da restrição, serão pedidos laudos médicos das modelos antes dos desfiles e ainda haverá palestras sobre distúrbios alimentares durante a semana do evento. ?Entendemos que a moda tem um papel de conscientizar e promover mudanças. A profissão de modelo tem sido tema de debates e estamos fazendo nossa parte?, disse Paulo.Entre as semanas de moda mais conhecidas, somente as de Paris e Milão barram as menores de 16 anos, mesmo assim, quando um dos pais está presente e a Justiça autoriza a participação, as meninas acabam conseguindo desfilar. Em Madri a restrição é feita para aquelas com o Índice de Massa Corporal inferior a 18,5, considerado normal.A decisão foi bem avaliada pela maioria das agência. ?Muitas meninas não estão preparadas para a pressão. É melhor que seja assim?, disse a diretora da agência Elite, Adriana Ferreira Leite. Para o diretor da nova agência Way Models, formada pelos ex-diretores e parte do casting da Marilyn, essa é uma tentativa de mostrar que o mundo da moda quer ser visto como sério. ?É uma forma de trabalhar de maneira mais profissional?, disse Anderson Baungartner.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.