Sontag e Mernissi dividem prêmio Príncipe de Astúrias

A escritora e ensaísta americana Susan Sontag e a autora feminista marroquina Fátima Mernissi são as vencedoras do prêmio Príncipe de Asturias de literatura. Conforme anúncio feito hoje, a americana de 70 anos e a marroquina de 63 mereceram o troféu por desenvolverem uma obra que passa por diversos gêneros e abarca temas importantes "com profundidade de pensamento e qualidades estéticas".Susan, também ativista dos direitos humanos, é autora de uma vasta obra de ficção e não-ficção, que passa por literatura, ética, saúde, política e cultura. "É uma honra, uma grande honra", diz a autora de Na América e Sob o Signo de Saturno. "É um prêmio à transcendência da literatura."Já sua colega africana é considerada uma autoridade em temas feministas e na condição da mulher muçulmana. Fátima é também socióloga, e leciona na Universidade Mohammed V, em Rabat, no Marrocos. Sonhos de Transgressão é um de seus poucos livros publicados no Brasil. Suas obras mais famosas Beyond the Veil ("por trás do véu") e The Veil and the Male Elite ("o véu e a elite masculina") são proibidas em grande parte do mundo islâmico.A literatura é apenas uma das oito categorias do prêmio Príncipe de Astúrias, no valor de US$ 57 mil. Os vencedoras receberão o dinheiro e uma escultura do espanhol Juan Miró em novembro, em Oviedo, das mãos do príncipe Felipe deAsturias. Já venceram o prêmio nomes como Mario Vargas Llosa, Camilo José Cela, Doris Lessing e Arthur Miller.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.