Sons para tirar o grupo de seu 'hábitat natural'

Banda ajustada ao seu tempo, a curitibana Copacabana Club fez o caminho inverso do que um dia foi convencional. Com algumas músicas na internet, se tornou conhecida no indie e enfeitou o currículo com participação em importantes festivais tanto no Brasil como lá fora. O delicioso Tropical Splash, com nove inéditas, situa o Copacabana em um indie dance funkeado e ao mesmo tempo barulhento que remonta uma banda clássica como o Gang of Four, mas é mais bem traduzida nos dias de hoje no som do grupo nova-iorquino Rapture e principalmente no Cansei de Ser Sexy. Tropical Splash já nasce tirando o Copacabana Club de seu hábitat natural, o indie rock voltado para as pistas. Extremamente bem estruturado por mãos eletrônicas e produzido pelo midas pop Dudu Marote, que assina trabalhos de Skank e Jota Quest, esse primeiro disco já faz o grupo curitibano transitar por outras áreas. Tropical Splash, claro, traz o pequeno tesouro conhecido do grupo, Just Do It, praga indie que não parou de tocar desde o início da carreira. Mas carrega também as excelentes novidades Sound of Confusion, Sex Sex Sex e a afrancesada Pas Toujours. Brasil, temos uma banda!

Lucio Ribeiro, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.