Sonho e pesadelo em Jean Charles

Um Cão do Outro Mundo

O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2012 | 03h08

15H15 NA RECORD

(Good Boy!). EUA, 2003. Direção de John Robert Hoffman, com Molly

Shannon, Liam Aiken, Kevin Nealon, Brittany Moldowan.

Garoto que sempre quis ter um cachorro adota vira-lata, com o qual descobre que consegue falar. E o cão revela a chegada de um líder do espaço, que poderá matar todos os animais. Ambos correm para evitar o colapso. Reprise, colorido, 88 min.

Escola de Rock

21H15 NO SBT

(School of Rock). EUA, 2003. Direção de Richard Linklater, com Jack Black, Joan Cusack, Mike White.

Jack Black faz roqueiro que é despedido da banda e, sem dinheiro, vai trabalhar como professor substituto. Ele incentiva o talento musical dos alunos e o diretor Linklater faz o que não deixa de ser uma homenagem a Sociedade dos Poetas Mortos. Lembram-se do filme de Peter Weir? De Robin Williams como professor que incentivava a rebeldia dos alunos numa escola conservadora? Reprise, colorido, 108 min.

Roma, um Nome de Mulher

21H45 NA CULTURA

(Roma). Espanha/Argentina, 2004. Direção de Adolfo Aristarain, com Juan Diego Botto, Susú Pecoraro.

Aristarain, um dos grandes do cinema argentino (e latino-americano), mostra escritor que conta a estudante de jornalismo a história de sua mãe. O herói vive exilado na Espanha, a mãe foi uma mulher de comportamento libertário. Susú Pecoraro dá um show no papel. Reprise, colorido, 150 min.

Todo Mundo em Pânico 3

22H15 NA BANDEIRANTES

(Scary Movie 3). EUA, 2003. Direção

de David Zucker, com Anna Faris,

Anthony Anderson, Leslie Nielsen, Camryn Manheim, Pamela Anderson, Queen Latifah, Eddie Griffin, Charlie Sheen, Simon Rex, Ja Rule.

No terceiro filme da série, Cindy/Anna Faris virou jornalista e prepara reportagem sobre os misteriosos círculos que sugiram nos campos do fazendeiro Charlie Sheen. Como nos anteriores, aqui o diretor Zucker parodia o terror e o fantástico contemporâneos, a começar por Sinais, de M. Night Shyamalan (com Mel Gibson). Reprise, colorido, 75 min.

Proibido Proibir

22H30 NA TV BRASIL

Brasil/Chile, 2007. Direção de Jorge Durán, com Caio Blat, Maria Flor,

Alexandre Rodrigues, Edyr Duqui.

Marcado por Jules e Jim, Uma Mulher para Dois, de François Truffaut, o chileno/brasileiro Durán conta a sua versão de um triângulo amoroso. Caio Blat, Maria Flor e Alexandre Rodrigues são estudantes confrontados com temas como amizade, amor e a violência do mundo ao redor. Belo filme. Reprise, colorido, 105 min.

Maria Madalena

23 H NO SBT

(Maria Maddalena). Itália, 1999. Direção de Raffaele Mertes, com Maria Grazia Cucinotta, Massimo Ghini, Giuliana de Sio, Gottfried John.

Maria Madalena é uma das personagens mais polêmicas da Bíblia e não são poucos os historiadores e até teóricos religiosos que sustentam que sua participação foi muito maior na vida de Cristo. Esta versão põe ênfase na vida pecaminosa, antes do encontro com Jesus de Nazaré. A presença de Maria Grazia Cucinotta, de O Carteiro e o Porta, oferece um atrativo e tanto. Reprise, colorido, 95 min.

Jean Charles

23H15 NA GLOBO

Brasil, 2009. Direção de Henrique

Goldman, com Selton Mello, Vanessa Giácomo, Luis Miranda, Patrícia Armani, Daniel De Oliveira, Sidney Magal.

Roger Waters dedicou seu show desta semana em São Paulo a Jean Charles de Menezes e a outras vítimas do terrorismo de Estado. Pode ser mera coincidência, mas a Globo não deixa de pegar carona na dedicatória e mostra o filme sobre o brasileiro morto em Londres num episódio envolvendo suspeita de terrorismo. O filme é benfeito, bem interpretado (por Selton Mello) e não deixa de oferecer um testemunho sobre o sonho de brasileiros numa vida no exterior. Às vezes, como aqui, ele vira pesadelo. Reprise, colorido, 90 min.

Jogo Subterrâneo

23H30 NA CULTURA

Brasil, 2007. Direção de Roberto Gervitz, com Felipe Camargo, Maitê Proença, Julia Lemmertz, Maria Luísa Mendonça.

Felipe Camargo está muito bem como Orlando Villas Bôas em Xingu, que estreou ontem nos cinemas, Ator de teatro, cinema e TV, seu talento só foi reavaliado quando ele fez a minissérie Som e Fúria, de Fernando Meirelles, mas Camargo já fazia filmes como este, sobre homem que busca, no metrô de São Paulo, a mulher de sua vida. O jogo subterrâneo baseia-se em texto de de Julio Cortázar. O filme é sofisticado, e apesar disso, teve dificuldade para encontrar seu público no cinema. Quem sabe, na TV, na Cultura...? Reprise, colorido, 107 min.

Horas de Desespero

1H30 NA BANDEIRANTES

(Desperate Hours). EUA, 1990. Direção de Michael Cimino, com Mickey Rourke, Anthony Hopkins, Mimi Rogers, Lindsay Crouse, Kelly Lynch.

O remake do drama de William Wyler, com Humphrey Bogart e Fredric March, dos anos 1950, põe ênfase na dimensão de thriller da história dos presidiários em fuga que invadem casa e mantêm família burguesa sob a mira de suas armas. Mickey Rourke, na pele do líder do grupo, estava na fase de baixa de sua carreira, o diretor Cimino tentava se reerguer após o episódio Portal do Paraíso, quando levou a empresa United Artists à bancarrota. Não deu muito certo, mas vale arriscar. Quem sabe qualidades despercebidas agora não aparecem? No original, Wyler elaborava sua mise-en-scène a partir da profundidade de campo. Cimino tenta ir por outro caminho. Reprise, colorido, 102 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.