Som e letras não perderam a atualidade

Reouvindo Selvagem? depois de tanto tempo, nota-se que tanto na sonoridade como nas letras o disco não envelheceu. A miséria e a violência expostas em Alagados, Teerã, A Novidade e Selvagem, seja no Nordeste brasileiro ou no mundo árabe, ainda persistem. O afrobeat e a guitarrada, que hoje estão na moda, já se manifestavam ali. Eles chegaram ao estúdio para gravar com Liminha com o disco praticamente pronto. "A gravação fluiu de uma maneira muito fácil", lembra o produtor responsável por outro disco fundamental para o pop brasileiro naquele mesmo 1986: Cabeça Dinossauro, dos Titãs. "Havia um paradigma muito grande na época, porque a maioria das bandas brasileiras focava demais no rock vindo de fora, principalmente da Inglaterra, e todo mundo queria ficar em cima dessa fórmula", diz Liminha. "Herbert dizia que tinha medo que desse tudo errado, porque as pessoas iriam estranhar muito. Mas para felicidade nossa foi um disco emblemático demais, um divisor de águas na carreira deles. A partir dali, eles acharam um caminho e reforçaram a personalidade deles."

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.