Divulgação
Divulgação
Imagem Roberta Martinelli
Colunista
Roberta Martinelli
Som a pino
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Som a Pino: 'Música, letra e dança...'

E DAS MÚSICAS MAIS LINDAS QUE EU VI...

Roberta Martinelli, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2016 | 02h00

Perfume do Invisível, faixa do disco Tropix da cantora e compositora Céu e o belíssimo clipe dirigido pelo cineasta Esmir Filho, premiado essa semana como melhor direção e fotografia (Kauê Zilli) no Prêmio Multishow. Eu uso isso de pretexto para falar da beleza de um clipe que eu já falaria mesmo antes do prêmio, mas vale o gancho e claro prêmios são bem-vindos só não são determinantes. 

A vontade da parceria entre Céu e Esmir era antiga. Há algum tempo o cineasta e a cantora tentavam fazer algo juntos. Sereia/ Streets Bloom foi o primeiro passo. Incentivada por Esmir, Céu levou uma câmera para uma série de shows nos EUA e ele editou e escolheu a trilha daquilo que chama de peça. Era o começo de uma parceria, ele conseguiu ver o olhar dela, ela o dele e “o que estava quietinho ali, se mostrou meu bem”.

Quando Tropix estava pronto, Esmir ouviu antes (sortudo) e juntos escolheram a música que ganharia o clipe. Céu falou sobre como estava trabalhando com fragmentos de som, o que inspirou o diretor a trabalhar o fragmento da imagem. Glitch Art, que é a exploração estética do erro da máquina, nas palavras de Esmir “o erro que dá a beleza”. Foram quatro planos sequência. E Céu dança lindamente, muito. E Esmir dançou com ela. E assistindo o clipe você quer dançar com eles. O casamento perfeito entre música e imagem. Corre pro youtube e seja mais um visualizador do Perfume do Invisível. 

DE INVISÍVEL NÃO TEM SÓ ESTE PERFUME

Outra jóia vai surgir em breve e eu descobri sem querer num passeio numa tarde dessas. Você conhece a banda Baiana System? De Salvador, misturam soundsystem com guitarra baiana e se você tiver a oportunidade vá a um show deles para não esquecer jamais. Eles lançaram este ano o segundo disco, Duas Cidades, com produção de Daniel Ganjaman e logo mais lançam duas faixas inéditas e eu só sei porque flagrei eles no estúdio da Red Bul Station, então não espalha, segredinho entre nós. Logo mais teremos duas músicas novas: Forasteiro e....Invisível. 

E AQUI PARA REFORÇAR

o belíssimo desfile da LAB de Emicida e Fióti em parceria com João Pimenta no SPFW. Essa foto que a Mariana Aydar tirou no momento que Emicida sentou com Costanza Pascolato, “há sempre um mundo pra gente fazer”, eles estão fazendo um de derramar lágrimas de emoção. 

RATO MIÚDO

Gilberto Gil

Música gravada nas sessões do compacto com Sítio do Pica-Pau Amarelo e Gaivota foi censurada na época e lançada na semana passada no YouTube pelo cineasta Jorge Alfredo, que compôs a música. Que bom que temos a internet que nos propiciou uma “canção inédita” do mestre Gil. Viva Gil! Amor.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.