Daryan Dornelles
Daryan Dornelles
Imagem Roberta Martinelli
Colunista
Roberta Martinelli
Som a pino
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Som a Pino: 'Deus É Mulher'

Elza Soares lança o trigésimo terceiro disco da sua extensa carreira

Roberta Martinelli, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 02h00

Foi na banheira com espumas que ela esperou a virada de quinta para sexta-feira da semana passada para celebrar o lançamento de mais um disco. Elza Soares merece tudo isso e muito mais. É lindo vê-la celebrando uma carreira de luta com tanta força e alegria. Deus É Mulher. Certeza que sim. Esse é o nome do novo disco, o trigésimo terceiro de sua (ainda bem) longa carreira. Ela repete o acerto da parceria do disco anterior (o primeiro de inéditas) A Mulher do Fim do Mundo. E assim Elza segue cantando, e vai cantar até o fim...

A parceria acertada que citei é a produção de Guilherme Kastrup e coprodução de Marcelo Cabral, Kiko Dinucci, Rodrigo Campos e Romulo Fróes. Além disso, Elza também repete compositores do trabalho anterior como Romulo Fróes e Alice Coutinho, Kiko Dinucci, Douglas Germano, e Rodrigo Campos. E, nesse disco, Elza pediu mais mulheres, queria elas. Tulipa Ruiz sonha com um banho para Elza, muita água, sai uma música. E tem também mulheres do grupo Ilú Oba de Min, tem Mariá Portugal, Maria Beraldo, Luciana Mello e Anna Turra, que assina mais uma vez cenário e luz com surpresas chegando.

Agora, a certeza de que Deus é Mulher vem da voz usada para dizer o que se cala, da mulher que tem o País como lugar de fala, que luta para ser feliz no vão, no triz, “pra que reprimir?”, a Deusa não compreende, a gente não compreende, estamos juntas. Ela clama por Exu nas escolas, por tomar de volta a alcunha roubada por uma ótica e uma ética contadas só por quem vence, Exu está com fome, claro, as merendas foram roubadas. A Deusa também dá banho e pinga até em quem já cuspiu nela. Ela quer dar para você, quer comer você. Ela levantaria o Sol, “vamos juntas que temos muito a fazer”, o mundo inteiro para gritar, o desejo de incomodar. A Deusa avisa que eles vêm para devorar nosso coração, gargalhando sobre nós, mas ela diz não. Diz esse não mais uma vez. Foram tantos. Eles estão rindo, mas no fim não vão rir, jamais. Essa Deusa tem clareza, e sabe que clareza é um sopro de dúvida, é um pouco de música. Sobre a natureza, ela não quer papo, cada um sabe a natureza que melhor lhe cai. “O olho aberto para você dormir tranquilo.” Uma fé que quem decide somos nós. “O amor é o deus que não cabe na religião.” Deus é mãe. Deus há de ser.

“A mulher dentro de cada um não quer mais silêncio.” Ela fala muito nesse disco. Vem com discurso para todas nós. Vem soltando tudo que estava entalado em tantas. 

“Por nós, só nós”, a Deusa avisa. Não podemos contar com forças superiores, a força é nossa.

Mudei. Nesse Deus eu acredito, Deus é Mulher.

Fiquemos juntas.

'Sol da Barra'

Composição do Marcelo Camelo no novo disco de Erasmo Carlos que também foi lançado na sexta (Uau! Que dia!). O disco chama Amor É Isso, tem produção do Pupillo e direção musical do Marcus Preto. Entre as canções, uma parceria com Emicida, uma com Marisa Monte e Dadi e essa. Ouviu?

 

Mais conteúdo sobre:
Elza Soaresmúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.