'Sofremos uma censura cultural'

Um sequestro da história brasileira. Assim o musicólogo Ricardo Cravo Albin define o 'esquecimento' de grandes discos, embargados há anos no acervo das gravadoras ou de herdeiros. "Há uma maldição do nosso baú musical, prendendo os discos que poderiam ser reeditados e não o são", compara. "É um absurdo. Nossa história musical enfrenta uma censura estética e cultural."

O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2011 | 03h09

Fundador do Instituto Cultural Cravo Albin, sociedade sem fins lucrativos que visa à promoção e pesquisa da música brasileira, o historiador e produtor já viu várias tentativas de resgate serem barradas pela intransigência dos seus representantes. Ele cita o próximo álbum do seu selo Discobertas, que resgata tesouros perdidos da MPB, e que deverá sair sem as faixas previstas de Clementina de Jesus, barradas pelos herdeiros.

"Isso está matando uma nova geração de colecionadores, que ficam só com a opção do vinil ou obrigados a buscar na internet uma digitalização ruim. Hoje, a única solução para lançar estes álbuns é pelo viés cultural, através de instituições." / B.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.