Só para maiores

Sensação na Inglaterra, peça de adolescente chega ao Brasil com painel ácido da classe média

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2011 | 00h00

Uma menina de 17 anos tornou-se a mais jovem dramaturga a ter um texto encenado na Inglaterra. Anya Reiss conta que começou a escrever aos 14, meio por acaso, e, não tardou muito, foi parar no Royal Theatre. Lá criou Spur of the Moment, peça que a projetou, lhe rendeu uma série de prêmios e foi a sensação da temporada londrina em 2010. "Se você tiver tempo para fazer apenas uma coisa em Londres, veja Spur of the Moment", decretava, a certa altura, a Time Out, mais importante guia cultural da capital britânica.

Contada a partir do ponto de vista de uma adolescente de 13 anos, a trama delineia um ácido retrato da classe média. Revela indivíduos que compartilham a mesma casa, mas que pouco ou nada sabem uns dos outros. Ensimesmados que estão em si mesmos. "Para mim, uma grande parte da peça é sobre a importância do perdão, o prejuízo de se absorver em si mesmo, de se autodestruir", disse Anya em entrevista concedida ao Estado, na qual falou sobre seu estilo, suas influências e seu novo espetáculo, The Acid Thest.

Com estreia marcada para amanhã, no Teatro Tuca, Sem Pensar é a primeira versão brasileira de Spur of the Moment. Foi depois de ver a montagem inglesa no ano passado, que a atriz Denise Fraga e o diretor Luiz Villaça decidiram comprar os direitos do texto e encená-lo por aqui. "Nem gosto de falar na idade da Anya, porque parece um dado compensatório. Mas é realmente impressionante o conhecimento que ela tem de dramaturgia", comenta Denise.

Para Villaça, cineasta que debuta na direção teatral, o texto da adolescente ganha força não só pelo enredo, mas também por sua escrita particular, pautada sempre em diálogos breves e diretos. "Vejo nela uma linguagem própria dessa geração que já nasceu formada pela internet, tudo é muito curto. Sua estrutura é musical e matemática", diz ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.