Keiny Andrade/AE
Keiny Andrade/AE

Só não venha com 'jingle bells'

Sem pudores em evocar o espírito natalino em suas canções, roqueiros, rappers e até punks entram em clima de Noel. Ao menos uma vez por ano, vale a pena ser meigo

Lucio Ribeiro, O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2010 | 00h00

Para o bem e para o mal, a música pop aproveita a época natalina para soltar suas famigeradas Xmas Songs, bandas e/ou grandes e indies aproveitando a época de sensibilidade cristã para homenagear a data com guitarras, raps, letras fofas, engraçadas, sacanas e também a pieguice do momento. Duas delas puxam a lista: Christmas Lights, do grupo inglês Coldplay, e Christmas in Harlem, do rapper Kanye West.

A balada do Coldplay foi lançada dia 1.º de dezembro, para download digital. Dirigida por um pianinho triste e a voz rouca de Chris Martin, a música vai acelerando sem nunca perder a ternurinha natalina.

A música embalou os dias que precederam este Natal na Inglaterra, tocando sem parar em rádios, lojas. Ela fala sobre andar nesta época pela Oxford Street, o centro comercial de Londres.

Nos EUA, a performance da música foi sentida na parada da Billboard. Christmas Lights, o chororô do Coldplay sobre luzes e como não sentir que é Natal enquanto a neve não cai, entrou no Top 100, em 25º lugar. Na parada digital, no entanto. a canção atingiu o número 12.

Já Christmas in Harlem, o hip hop natalino de Kanye West, chega como um bônus oferecido pelo rapper, que saboreia no paralelo a performance de seu álbum recém-lançado em várias listas de melhores discos de 2010.

Cheia de convidados parceiros, como Jim Jones, Teyana Taylor, Pusha T entre eles, a música Christmas in Harlem foi colocada para download gratuito no blog de Kanye West.

No refrão, Kanye faz um dueto engraçado com Teyana Taylor. Enquanto a moça canta sobre as compras natalinas, Kanye faz o papel de um Noel malandro: "Eu sou um "bad" Papai Noel. Você vai ter que sentar no meu colo."

O Natal também inspirou almas indies. Duas grandes pequenas bandas do underground americano se juntaram para fazer a triste/alegre/triste Got Something for You, balada guiada por guitarras e "u-uhs".

Também americana e também indie, a dupla de dream pop Beach House, de Baltimore, um dos destaques do novo rock em 2010, também fez uma tocante musiquinha para esta época de festas. Chama I Do Not Care for the Winter Sun e também foi colocada recentemente em seu site oficial para ser baixada grátis.

Na Noruega, a cultuada banda Royksopp burilou uma famosa e antiga canção natalina para também contribuir para o final do ano pop. O grupo nórdico mexeu em Cantique de Noel, hino natalino do compositor francês Adolphe Adam, de 1847, também conhecida como O Holy Night, para transformá-la em singela versão moderna e instrumental.

Músicas de Natal são famosas entre bandas de rock (e afins) há muito tempo. Talvez as duas mais famosas delas, que ainda hoje tocam muito em rádios de todo o planeta, sejam Happy Xmas (War Is Over), de John Lennon, (composta já em sua fase americana, no calor da Guerra do Vietnã e do fim dos Beatles, em 1971), e Merry Christmas Everybody, da banda inglesa glam Slade (esta de 1973).

O pop brasileiro também fez canções famosas de Natal, seja lá como você definir, aqui, o conceito de famosas. Tem a, desculpe, famosa Então É Natal, da cantora baiana Simone, feita em 1995 exatamente como versão brasileira da Happy Xmas, de John Lennon. A cover está num disco todo ele natalino não por acaso batizado de 25 de Dezembro, que vendeu mais de 1,5 milhão de cópias em um mês e meio.

Já o submundo punk nacional contribuiu com o Natal de modo "clássico". O, desculpe de novo, famoso grupo Garotos Podres, de Mauá (Grande ABC paulista), fez história no underground com Papai Noel Velho Batuta, hino punk tupiniquim que chama o bom velhinho de porco capitalista (daí para baixo) e cujo nome original, uma rima com Velho Batuta, foi mudado pela censura dos anos 80 porque homenageava até a Vovó Noel. Pelo menos serviu para os Garotos Podres poderem cantar a sua música natalina até hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.