Só grandes atrações nos canais pagos

Os Rugrats e os Thornberrys Vão Aprontar

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2010 | 00h00

14H15 NO SBT

(Rugrats Go Wild). EUA, 2003. Direção de John Eng e Norton Virgien, com John Eng, Norton Virgien.

Presos numa ilha, os Rugrats ganham ajuda dos Thornberrys, família que vive nas florestas produzindo documentários sobre a vida selvagem. Animação destinada preferencialmente aos fãs dos Rugrats. Mas cabe a advertência que acompanhou o lançamento nos EUA ? o humor foi considerado chulo "leve" e isso restringiu a plateia infantil. Reprise, colorido, 80 min.

Pânico na Floresta

23H15 NO SBT

(Wrong Turn). EUA, 2003. Direção

de Rob Schiller, com Desmond Harrington, Eliza Dushku, Emmanuelle Chriqui.

Médico parte numa viagem para fazer sua primeira entrevista de trabalho. O engarrafamento na estrada o leva a tomar um atalho, mas numa curva ele topa com carro avariado. Juntando-se ao grupo, chegam todos a uma cabana ? e descobrem que se trata de uma cilada mortal. Terror sem grandes atrativos de direção nem elenco. Reprise, colorido, 90 min.

Intercine

2H35 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre ? Infidelidade, de Adrian Lyne, com Richard Gere, Diane Lane e Olivier Martinez, livremente adaptado de A Mulher Infiel, de Claude Chabrol, sobre esposa que arrisca seu casamento ao se envolver com outro homem; as cenas entre Diane e Martinez são talvez as mais "quentes" vistas numa produção classe A de Hollywood; e Segundo em Comando, de Simon Fellows, com Jean-Claude Van Damme como agente treinado para defender os interesses dos EUA em qualquer região do mundo.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre ? Reação em Cadeia, de Andrew Davis, com Keanu Reeves, Morgan Freeman, Fred Ward, Rachel Weisz e Brian Cox, sobre sobrevivente de ataque a laboratório em que cientista realizava experiências com combustível alternativo; os interesses são muito fortes e ele não encontra apoio para divulgar o que seu chefe vinha fazendo (EUA, 1996, fone 0800-70-9011); e Prova de Amor, de David Gordon Green, com Paul Schneider, Zooey Deschanel e Patricia Clarkson, sobre mecânico apaixonado e a garota corresponde, mas existem entraves ao romance (EUA, 2002, fone 0800-70-9012).

TV Paga

Se Meu Apartamento Falasse

16H35 NO TELECINE CULT

(The Apartment). EUA, 1960. Direção de Billy Wilder, com Jack Lemmon, Shirley MacLaine, Fred MacMurray, Ray Walston.

Jack Lemmon faz funcionário que sobe na hierarquia da firma transformando seu apartamento em garçonnière dos chefes. O problema é que ele se apaixona pela garota do elevador, e Shirley MacLaine é a amante de Fred MacMurray. Vencedor dos Oscars de melhor filme, diretor e roteiro (entre outros), é um belíssimo trabalho de Wilder, que dosa cinismo e romance ao avaliar relações (e antecipar o materialismo crescente do mundo corporativo). Reprise, preto e branco, 125 min.

Caravana de Bravos

22 H NO TCM

(Wagon Master). EUA, 1950. Direção de John Ford, com Ben Johnson, Joanne Dru, Harry Carey Jr., Ward Bond, Alan Mowbray, Jane Darwell, Hank Worden, Jack Ford.

Mais duas atrações do Festival John Ford nesta terça-feira. No livro com a entrevista que deu a Peter Bogdanovich, o mestre fala com grande carinho deste filme e diz que, com Domínio de Bárbaros e Legião Invencível, foi um dos que chegou mais próximo do que ele se propunha, ao iniciar o projeto. Cabe ao cinéfilo regozijar-se porque Ford, com frequência, passou longe das próprias intenções (atingindo resultados superiores). Nenhum dos três filmes citados está entre os melhores do chamado "Homero de Hollywood", mas possuem, cada um, virtudes (e defeitos). Caravana de Bravos trata de um grupo de pioneiros que ruma para o Oeste, enfrentando pistoleiros e índios no caminho. É lindamente filmado (em Monument Valley), mas a ação é mínima, o que é, ao mesmo tempo, sua qualidade e o limite. Reprise, preto e branco, 86 min.

Depois do Vendaval

23H30 NO TCM

(The Quiet Man). EUA, 1952. Direção de John Ford, com John Wayne, Maureen O"Hara, Victor McLaglen, Barry Fitzgerald, Mildred Dunnock.

Ford ganhou o último de seus quatro Oscars de direção por este filme que, sim, é uma de suas obras-primas. Antes, ele foi premiado por O Delator, em 1935; Como Era Verde Meu Vale (1940); e Vinhas da Ira (1941). John Wayne faz pugilista que volta às origens, na Irlanda. Ele guarda um segredo e tenta recomeçar a vida, casando-se com Maureen O"Hara, mas uma disputa por dote o faz ter de brigar (e o trauma refere-se a um incidente no ringue). O filme também ganhou o Oscar de fotografia e, se a Academia tivesse escolhido certo, teria recebido a estatueta principal, porque é superior a O Maior Espetáculo da Terra, de Cecil B. de Mille, que

foi o melhor filme daquele ano. É curioso, mas só um dos quatro prêmios de direção de Ford corresponderam ao melhor filme do ano, e foi Como Era Verde Meu Vale. Reprise, colorido, 129 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.