Smashing Pumpkins processa gravadora por comercial

A banda de rock americana Smashing Pumpkins entrou com um processo contra a gravadora Virgin Records. O grupo acusa a gravadora de usar ilegalmente o nome e a música do grupo em acordo promocional com a Pepsi e alega que a situação prejudica a credibilidade da banda. Um processo por quebra de contrato foi aberto ontem no Tribunal Superior de Los Angeles.Os roqueiros de Chicago afirmam que trabalharam "duro por mais de duas décadas para acumular uma considerável boa-vontade aos olhos do público", mas o uso do nome e da música da banda em um promoção chamada "Pepsi Stuff" coloca em risco a reputação e a integridade artística da banda. Além da Virgin e da Pepsi, a promoção envolveu também a megaloja virtual Amazon.com.O Smashing Pumpkins tem contrato de gravação com a Virgin há 17 anos, mas o único acordo ativo entre as partes, diz a queixa, é uma cláusula que autoriza a gravadora a vender arquivos digitais com músicas da banda pela internet. O acordo, prossegue o grupo, não autoriza a Virgin a usar o nome ou a música do Smashing Pumpkins em campanhas promocionais para a venda de outros tipos de produto.Os integrantes da banda asseguram que "jamais dariam tal autoridade à Virgin ou a qualquer outra entidade". Eles pedem indenização pelos lucros obtidos pela gravadora com a promoção e exigem um mandado que proíba o uso do nome ou da música do grupo em ações similares no futuro. A Virgin ainda não se pronunciou sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.