Skank apresenta em SP o show do CD 'Estandarte'

São 17 anos de estrada. E com o 10º álbum da carreira, o Skank vem a São Paulo mostrar, hoje e amanhã, seu Estandarte, mais recente prova de que a banda resiste não só ao tempo, mas à própria "tendência suicida" que os vem guiando, como lembra o vocalista Samuel Rosa. ?Nunca tivemos pudor de mudar. Sempre insistimos na tentativa de rompimento meio suicida. Não podemos ser acusados de não mudar de fórmula?, argumenta Samuel, que curte a fase tranquila do grupo.

AE, Agencia Estado

29 de maio de 2009 | 12h42

?Hoje estamos e uma maré segura. É confortante não ser mais a bola da vez, já existe um respeito com a gente quase que automático.? E apesar de envelhecer ao lado de seu público, Samuel Rosa revive nos palcos a nostalgia dos antigos sucessos. ?Tenho vergonha na cara de saber que Garota Nacional e Uma Partida de Futebol ainda são muito lembradas. Vejo isso de uma maneira mineira e até brejeira. Não nos incomoda.? As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaSkank

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.