Siro Darlan, o juiz, ataca novamente

Mais uma vez o juiz Siro Darlan, da 1ª Vara da Infância e Juventude, tem seu nome envolvido numa polêmica. Ao saber que a modelo Daniela Sarahyba tomou champanhe em seu aniversário de 17 anos, noúltimo dia 8, ele resolveu abrir inquérito criminal contra a churrascaria Porcão, em Ipanema, zona sul, onde foi feita a festa, e também contra os pais da moça. Ela jura que era apenas refrigerante.Darlan também tomou medida contra a banda Planet Hemp. Menores de idade estão proibidos de ir ao show do grupo amanhã. Para o juiz, a banda fazapologia à maconha.Daniela diz que um fotógrafo lhe pediu para brindar com uma taça de champanhe, mas só bebeu guaraná. Ela já havia sido alvo do juiz durantea 8ª Semana Barrashopping de Estilo, quando ele exigiu das modelos menores de idade comprovação de freqüência escolar. A moça, que cursa o 2º período do supletivo no Centro Educacional da Lagoa (Cel), apresentou o documento e não chegou a ser impedida dedesfilar, como aconteceu com outras colegas. Segundo o juiz, sua mãe (o pai é falecido) terá de freqüentar a Escola de Pais, para provar quecumpre bem o pátrio poder, sob pena de pagar multa de 3 a 20 salários mínimos. Já Marcelo D2, líder do Planet Hemp, criticou a atitude de Siro Darlan de não permitir a entrada de menores no show da banda que será realizadona Praça da Apoteose num festival de rock, e disse que ?é um absurdo um menor poder votar e não poder ir a um show de rock?. Os menores que jácompraram ingressos serão ressarcidos. Procurado hoje pelo Estado, o juiz não pôde responder à crítica porque sofreu uma intervençãocirúrgica na boca e estava impossibilitado de falar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.