Disney
Disney

Single da animação 'Encanto' lidera ranking global

Canção 'We Don't Talk About Bruno' está entre as mais ouvidas no YouTube e Billboard

Ashley Spencer, The New York Times

18 de janeiro de 2022 | 20h00
Atualizado 19 de janeiro de 2022 | 09h11

 “Dois metros de altura, ratos nas costas”, um adolescente de cabelos encaracolados envolto numa capa canta para a câmera. “Ele me faz lembrar o som da areia caindo”, uma mãe ocupada balança a cabeça fazendo que sim e sai dançando na cozinha, com o aspirador de pó nas mãos. “Desculpe, mi vida, vá em frente!”, duas irmãs dizem com um gritinho, perigosamente desafinadas. ‘Encanto’ avisou que não era para falar sobre Bruno, mas muita gente está obcecada com uma música que fala sobre ele.

Desde que o filme animado da Disney estreou nos cinemas em novembro e chegou ao Disney+ na véspera de Natal, a divertida canção We Don’t Talk About Bruno virou um sucesso internacional. Ao contrário da maioria das músicas da Disney, Bruno não é o canto solo e melancólico do herói, nem a balada poderosa do terceiro ato. É uma faixa no estilo da Broadway que revela fofocas sobre um homem de meia-idade.

Mesmo assim, a música até recentemente liderava as paradas do Spotify, Apple Music e iTunes nos Estados Unidos, alcançou o primeiro lugar na parada global de vídeos musicais do YouTube e atualmente ocupa o quinto lugar na Billboard Hot 100 – a primeira música original de um filme de animação da Disney a fazer essa façanha desde Let It Go, o hino de Frozen, em 2014. Outras faixas de Encanto, como Surface Pressure e The Family Madrigal, também estão subindo. E na semana passada, a trilha sonora do filme superou o álbum 30 de Adele no primeiro lugar na Billboard 200.

‘Bruno’ ganhou impulso por sua popularidade no TikTok, onde clipes de pessoas como aquele adolescente encapuzado, aquelas irmãs esganiçadas e aquela mãe dançante acumulam milhões de visualizações.

“Eu poderia ficar o dia inteiro vendo TikToks”, disse um dos diretores do ‘Encanto’, Jared Bush, em entrevista. “Todo mundo está encontrando um ponto de entrada diferente, seja um momento específico ou uma dinâmica de personagem. Tem para todos os gostos e, falando francamente, é uma delícia”.

No filme – que conta a história de uma adolescente colombiana chamada Mirabel Madrigal (dublada por Stephanie Beatriz) e sua família de talentos sobrenaturais – Bruno (John Leguizamo) é um tio misterioso e ostracizado cuja capacidade de ver o futuro ganha o desprezo de todos aqueles que recebem más notícias. Na música, sua família e as pessoas da cidade compartilham histórias coloridas e muitas vezes amargas sobre suas profecias.

Germaine Franco fez a trilha de Encanto, mas Bruno e o restante das canções foram compostas por Lin-Manuel Miranda, que trabalhou com a Disney na trilha sonora do filme Moana, de 2016. Os cineastas de Encanto disseram que ele entregou a contagiante Bruno quase imediatamente.

Na primavera de 2020, Bush, seu colega diretor Byron Howard, a codiretora Charise Castro Smith e Tom MacDougall, então diretor musical do Walt Disney Animation Studios, entraram no bate-papo semanal com Miranda para debater uma faixa sobre Bruno que pudesse dar uma sacudida de energia no meio do filme.

“Dava para ver Lin pensando, aí ele olhou para nós e disse: ‘Parece uma história de fantasma assustador, um montuno meio aterrorizante’”, lembrou Howard, referindo-se a um padrão musical cubano. “Aí ele se virou para o piano e tocou os três primeiros acordes. Nós literalmente o vimos compondo a música naquele exato momento. Eu nunca tinha visto uma coisa dessas acontecendo ao vivo”. (Miranda não estava disponível para uma entrevista).

O personagem de Bruno já vinha evoluindo durante a criação do filme. Na versão inicial, ele era muito mais jovem, alguém da idade de Mirabel. Originalmente seu nome era Oscar, mas Bush disse que um problema jurídico sobre a existência de vários Oscar Madrigal na vida real na Colômbia os levou a explorar outras opções de nomes. Ele enviou a Miranda uma lista de cinco alternativas, às quais o compositor respondeu: “Definitivamente, Bruno”.

“Eu só consegui entender por que ele foi tão taxativo”, disse Bush, “dois dias depois, quando ouvimos: ‘Bruno, não, não, não’”.

Miranda então gravou uma faixa demo na qual cantou todas as dez vozes. “Era um Lin-Manuel anabolizado”, disse Adassa, cantora e compositora que dubla Dolores, a prima que tem uma audição excepcional. (Essa demo não foi lançada, embora um famoso imitador de Miranda tenha feito uma tentativa).

Com apenas alguns esboços e o áudio de Miranda para guiá-los, o coreógrafo do filme, Jamal Sims, e sua equipe passaram cerca de duas semanas num estúdio de Los Angeles criando os movimentos da dança de Bruno para os animadores renderizarem digitalmente. Incorporando elementos de salsa, rumba e cumbia, a dança nacional colombiana que apresenta influências africanas, indígenas e europeias, eles mapearam cada momento da música e gravaram um vídeo de referência, como se fosse parte de um musical ao vivo. Até os ratos de Bruno fazem passos de dança elaborados. (A equipe de animação mais tarde filmaria os dançarinos com diferentes ângulos de câmera).

“Tivemos que construir tudo isso a partir da nossa imaginação”, disse a coreógrafa assistente Kai Martinez. “O que ajudou a deixar esta faixa única é que tivemos um grupo de dançarinos latinos da Colômbia, de Cuba, de Porto Rico – pessoas que conheciam bem a tarefa”. (Clipes de sua coreografia compartilhados por Martinez no TikTok acumularam mais de 23 milhões de visualizações). / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Disneyanimação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.