Sienna Miller fecha acordo em processo de grampo telefônico

A ação movida pela atriz de cinema Sienna Miller contra o jornal britânico News of the World por invasão de privacidade e assédio, em função do suposto grampeamento de seus telefones por repórteres do tablóide, foi resolvida nesta terça-feira com um acordo judicial em que ela recebeu indenização de 100 mil libras (163.500 dólares).

REUTERS

08 de junho de 2011 | 08h34

Namorada intermitente do também astro de Hollywood Jude Law, Miller foi uma das querelantes principais que processou a News Corporation, de Rupert Murdoch, por alegações de que repórteres do tablóide teriam ouvido ilegalmente suas mensagens de voz, visando conseguir furos para o jornal.

No mês passado, a atriz de 29 anos concordou em aceitar a indenização, somada a uma confissão de culpa incondicional.

Seu advogado, David Sherborne, disse à Alta Corte de Londres que, em 2005 e 2006, Miller foi tema de vários artigos que continham "informações particulares e intrusivas", informou a Press Association.

Além do pagamento da indenização e de suas custas judiciais, Miller, que não esteve presente à audiência no tribunal, ganhou um mandado que proíbe qualquer outro acesso ilegal a suas mensagens de voz ou publicação de informações particulares a seu respeito.

A ordem também prevê a revelação de informações sobre a extensão das atividades de espionagem e autoriza Miller expressamente a voltar ao tribunal se novos materiais vierem à tona.

(Reportagem de Michael Holden)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTESIENNAMILLERGRAMPEAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.