Show musical encerra o fim de semana da Virada Cultural

O Parque da Independência, no Museu do Ipiranga, foi o local escolhido para o encerramento da Virada Cultural. Segundo a Polícia Militar, cerca de quatro mil pessoas aguardavam, o show de Luiz Melodia, última atração da Virada. O cantor e compositor, contudo, chegou mais tarde que o previsto e iniciou seu show com quase uma hora de atraso. "A expectativa para esse show é das melhores. Ainda mais depois dos acontecimentos recentes que a cidade enfrentou. Essa virada cultural é a melhor resposta que São Paulo poderia dar", disse Luiz Melodia, pouco antes de subir ao palco do Parque da Independência.Enquanto aguardavam o show do músico e cantor, uma apresentação de maracatu transitava por entre o público. "Eu vim mais pelo batuque mesmo", disse Keyla Marcelino, de 22 anos, estudante. Sua amiga Fernanda Cesar, de 19 anos, também disse gostar muito de percussão. "E de quebra ainda vou ver o show do Luiz Melodia", comemorou.A platéia contava também com pessoas que enfrentaram uma verdadeira maratona cultural. "Ontem eu fui no Cordel (do Fogo Encantado), no Sesc Pompéia, na Casa das Rosas e na Maratona de Danças. Ai eu dormi. Hoje, mais curtição, fomos na Liberdade, no show de samba do Anhangabaú e agora estamos aqui", disse a bióloga Marina Oppenheimer, de 25 anos, que estava acompanhada de outras biólogas festeiras.O prefeito Gilberto Kassab, presente na cerimônia de encerramento da Virada Cultural, comemorou o sucesso da segunda edição do evento. "A vontade de vencer do paulistano prevaleceu. A Virada foi um sucesso", disse o prefeito em alusão aos ataques do PCC durante a semana. Em cima do palco, por volta das 19 horas, Luiz Melodia também mencionou a superação que a Virada representou para a cidade. "São vocês que mandam em São Paulo. Aqui é cultura não violência", disse Melodia ao público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.