Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Show, cinema, teatro, dvd... o ano de Ney

Ainda que não queira dar tom de auto-homenagem aos próprios projetos, Ney Matogrosso terá um ano daqueles. Em fevereiro, vem ao HSBC Brasil para dar seguimento à turnê de Beijo Bandido, que já rendeu CD e DVD, lançados há um mês. Também para o primeiro semestre está prevista a estreia nos cinemas de Luz nas Trevas - A Volta do Bandido da Luz Vermelha, com direção de Ícaro Martins e Helena Ignez, viúva de Rogério Sganzerla, o diretor do original O Bandido da Luz Vermelha, de 1968. Ney vive o próprio bandido, em um filme que descreve como "surreal". "Fico curioso para ver quando isso cair na boca do povo. É muito diferente de tudo que está aí. O filme tem um texto contundente mas tem humor, umas coisas meio nonsense. Eu (Bandido da Luz Vermelha), depois que fujo da prisão, pego uma mala cheia de euros guardada com uma mulher que foi minha amante, agradeço, olho para a câmera e digo: "Meu sonho é abrir uma padaria em Cuiabá." Olha que coisa mais surreal."

, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2011 | 00h00

Outro projeto para as salas, a estrear este ano, Ney anuncia, é o documentário Olho Nu, de Joel Pizzini, que contará a vida do cantor desde sua infância em Bela Vista (MS). "O filme tem que ser aberto com os Secos & Molhados botando para quebrar. É o que eu acho."

A veia teatral, o que na sua história aparece com primeira opção antes que ele se tornasse cantor, também salta nessa espécie de temporada Ney Matogrosso. Deve vir a São Paulo neste início de ano o monólogo estrelado por Marcus Alvisi e dirigido pelo cantor, Dentro da Noite, baseado em dois contos do jornalista e escritor João do Rio (1881-1921).

E entre shows, filmes e peça, um disco novo começa a dar sinais de vida. "Sei que vou provocar um choque com algumas coisas que vou gravar, mas não estou nem aí." Por exemplo? "Uma música do Luis Capucho, que quero cantar. Isso vai ser um choque, estou abrindo passagem para umas pessoas extremamente talentosas, mas que o preconceito quer vê-las lá na lama, sem poder respirar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.