Divulgação
Divulgação

Shakira tupiniquim

Com tecla SAP trilíngue e participações de peso, o show de setembro no Madison Square Garden mostrou que Ivete está determinada a se transformar na Shakira do País.

Roberto Nascimento, O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2010 | 00h00

O registro do show saiu este mês em CD e DVD, e há duas semanas lidera as listas de mais vendidos. Em Nova York, a cantora dividiu o microfone com Juanes, fenômeno do pop colombiano, Dave Matthews, Nelly Furtado, Seu Jorge e o argentino Diego Torres. Cantou em inglês, português e espanhol.

Fez uma versão samba reggae de Human Nature, de Michael Jackson; outra, sozinha ao piano, de Easy, dos Commodores. Tocou seus maiores hits em versões com sintetizadores e batidas de pista, para deixá-los mais acessíveis, pois acompanhar o frenesi de um trio elétrico não é para qualquer estrangeiro. Mas a plateia vibrou mesmo foi com a sessão axé.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.