Shakespeare ganha os quadrinhos

A vida no teatro na época elizabetana de William Shakespeare (1564-1616) provocava sensações arrepiantes - em um momento em que os poderosos e os trabalhadores amavam o teatro, acompanhando ativamente as peças e comentando-as em alta voz durante as apresentações, o bardo experimentou, do palco, essa intimidade com o público, observando suas reações e incorporando em seus textos o queconsiderava adequado para atrair a atenção dos espectadores. Aoestudar a rica experiência daquela época, a escritora inglesaMarcia Williams tomou um caminho original para adaptar as maisfamosas peças de Shakespeare para os quadrinhos.Sua intenção era transportar o leitor de hoje para oteatro londrino Globo Theater, dirigido pelo próprio dramaturgo,que também era co-proprietário do local. O resultado são doislivros de capa-dura que a editora Ática lançou recentemente:Sr. William Shakespeare e Bravo, Sr. WilliamShakespeare! (40 páginas cada um, R$ 27,90). A novidade estána forma original de contar as histórias, em três níveisdiferentes: o texto original falado pelos atores; a narração emlegendas do enredo de cada obra; e, à margem de cada página, oscomentários e palpites da platéia.A medida tornou a leitura mais estimulante e divertida.Além das belas ilustrações, feitas pela própria autora, Marciaconseguiu o equilíbrio devido entre as densas frases deShakespeare, pronunciadas pelos atores, e a comicidade daplatéia, de onde surgem os comentários mais hilariantes sobre aspeças. Acomodados no teatro de acordo com seu nível social, osespectadores preenchem a narrativa com observações inteligentes,engraçadas e até fora do contexto.É possível, assim, fazer a leitura sob diversas formas:ou individualizando cada nível (apenas os diálogos e depois oscomentários da platéia, por exemplo), ou em conjunto, començandopela fala dos atores, passando pela narração em legendas atéchegar às observações do público. No volume Bravo, Sr. WilliamShakespeare!, estão as seguintes peças: Como Gostais,Antônio e Cleópatra, Ricardo 3º, Noite de Reis,Rei Lear, O Mercador de Veneza e Muito Barulho porNada. Já no volume Sr. William Shakespeare Teatro,aparecem as seguintes obras: Romeu e Julieta, Hamlet,Macbeth, Conto do Inverno, A Tempestade, JúlioCésar e Sonho de Uma Noite de Verão.A apresentação é feita pela própria autora/ilustradora:"Imagine-se transportado para a Inglaterra do tempo deShakespeare. Às margens do Rio Tâmisa, fica o Globe Theatre, aconstrução em madeira onde todas as peças deste livro vão serencenadas. Veja se você consegue localizar a rainha Elizabeth 1ªe o próprio Shakespeare entre os espectadores." Logo em seguida, o primeiro desenho é justamente o do público chegando aoteatro.Lá, um enorme cartaz anuncia as peças da temporada, cadauma comentada por frases espirituosas. Veja, por exemplo, achamada para Rei Lear: "Talvez a tragédia mais tristeescrita pelo grande Will. A saga de uma família que vai fazervocê chorar." Um pouco mais abaixo, é feita uma observação:"Pede-se aos espectadores que evitem atirar objetos duros oupontiagudos nos atores. Somente frutas podres e vegetais."Apesar de irônico, o recado é verdadeiro, pois a platéiaelizabetana tinha o hábito de exprimir abertamente seusentimento em relação às peças, especialmente os mais críticos.Por fim, um lembrete importante: "Cuidado com os batedores decarteira!"Seleção - Como não poderia utilizar todos os diálogos das peçasnos quadrinhos, Marcia Williams foi obrigada a fazer umaseleção. O desafio, portanto, era pinçar justamente as frasesque conseguissem manter tanto o fluxo da narrativa como exprimiro amplo espectro de observação e representação da trama do mundo que Shakespeare foi um dos únicos a captar, na história doteatro mundial.Assim, Marcia consegue um resultado insatisfatório emMuito Barulho por Nada, em que o espaço reduzido deixa ahistória truncada demais, tornando-a incomprensível para osleitores mais jovens. Por outro lado, em dramas poderosos, comoHamlet, a narrativa desponta cheia das peripécias imaginadaspelo dramaturgo para suscitar o terror e a piedade.Antes de chegar a Shakespeare, Marcia Williams percorreuo trajeto da transposição do texto escrito para a visualizaçãodos quadrinhos em outras obras. Adaptou, por exemplo, Ilíada eOdisséia, de Homero, e outros mitos gregos e romanos para ouniverso infantil. Em sua carreira, estão ainda histórias do ReiArthur, as aventuras de Robin Hood e até uma versão de DomQuixote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.