Sexy Hot chega ao Now, vídeo sob demanda da Net. Mas tem de pagar

Plataforma de Vídeo Sob Demanda da Net, a maior operadora do País, o Now passa a contar, a partir de setembro, com o único canal erótico da Playboy do Brasil que faltava ao seu menu. O Sexy Hot vai se juntar ali às ofertas do Venus, Private, For Man, Sextreme e Playboy, além do formato Hot Shots, com cenas curtas. Isso sem falar nas produções em 3D da Playboy, que são um hit no Now. "Os canais eróticos são, ao lado dos esportivos, o maior sucesso de acessos na plataforma de 3D", contou à coluna o diretor dos Canais Playboy no Brasil, Maurício Paletta. Mas, diferentemente da praxe do Now, que não cobra taxas extras de quem já assina os conteúdos ali ofertados, o Sexy Hot terá, sim, custo adicional mesmo para quem já paga pelo canal no sistema a la carte.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2012 | 03h10

"Nada é de graça nesse segmento", admite Paletta. A vantagem é que o conteúdo poderá ser acessado mesmo por quem não paga a mensalidade desses canais. O Sexy Hot estreia no Now com conteúdo 100% nacional de filmes de longa e média metragem, a um preço que varia entre R$ 10 e R$ 15 por título. É mais do que se gasta numa locadora convencional, mas a indústria do gênero sabe que este é um tema de alto potencial para o consumo do video por demanda. Em recente pesquisa, a Playboy do Brasil constatou que 74% dos entrevistados consideram privacidade e segurança algo primordial para assinar canais eróticos. E 63% dos interessados são motivados a assinar canais adultos só para não ter de se expor numa locadora. Hoje, os sete canais da Playboy, uma joint venture com a Globo Sat, somam mais de 300 mil assinantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.