Sex longe da passarela

No segundo filme, quarteto é pura extravagância e usa cores fora de sua paleta usual, como turquesa, ouro, púrpura

Jess Cartner-Morley, Guardian, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2010 | 00h00

Sex and the City 2 promete roupas extravagantes incrustadas de joias para rivalizar com o minimalismo do verão passado aprovado na passarela - portanto deixem de lado o bege e adotem as cores púrpura, ouro e turquesa.

As chances de você usar calças harém no próximo verão (Hemisfério Norte) são bem menores. É apenas uma constatação, portanto não acabem com o mensageiro, aqui, OK? Para sermos mais específicos, elas diminuíram no momento em que o trailer de Sex and the City 2 apareceu na internet e ficou evidente que, neste filme, as calças largonas de punho franzido, de cores berrantes, e os saltos assassinos são os herdeiros dos vestidos longo chiques, de saia volumosa, com o buquezinho de flores, que caracterizaram o primeira filme.

Em outras palavras: por um lado, temos a moda que fez sucesso na passarela: o minimalismo controlado das cores da paleta e as nuances que vão do bege ao branco envelhecido, tão sensato até agora. Por outro lado, temos Carrie e cia. estrelando um anúncio de duas horas de duração sobre o encanto das cores das pedras preciosas, das silhuetas exóticas, das epidermes bronzeadas e das joias tiradas do baú do pirata. A primeira opção é, inquestionavelmente, mais usável e tem o mais autêntico pedigree da passarela. Mas numa sexta, à tardinha, no verão, quando ainda faz calor e há luz, arriscaria o palpite de que a moda de Sex and the City 2 poderá ter certa influência.

Decotes. A moda - segundo a própria Carrie - é "a Princesa Jasmine de Aladim, e com coquetéis". O trailer mostra as férias do quarteto em Abu Dabi, um cenário que o autor do roteiro parece achar um destino absolutamente desejável para as pessoas passarem as férias, o que é novidade para mim, mas deixe isso pra lá, por enquanto. Imagine calças harém ouro brilhante, e macaquinhos com estampas Caxemira no estilo Pucci ou em seda de paraquedas com babados. Imagine turbantes e foulards e cachos românticos, comprimento à la Disney, em vez do brilho urbano dos cabelos de antes, passados na chapinha. Imagine decotes tipo "noites da Arábia" e fendas até a coxa.

Pense no Matthew Williamson do início: púrpura, turquesa, ouro e fúcsia, com roupas debruadas com pedrarias e bordados de ouro em tudo.

Como concessão ao conceito local de vestuário apropriado, há menos vestidos minúsculos para coquetel do que no primeiro filme da série - daí as calças harém, que mais do que compensam o impacto perdido das coxas nuas. Imagine se Williamson tivesse aplicado sua brincadeira sexual exótica no clube dos milionários, com brunch na praia, e não nos bares da orla de Ibiza, e terá o quadro completo.

Como escolher a melhor cena em matéria de estilo? Aquela em que Carrie e Samantha cavalgam juntas um camelo, Carrie vestindo um macaquinho sem alças, Samantha com um maiô embaixo de uma capa de seda - como você usaria? E a outra em que o quarteto - numa imagem ofuscante de saltos altos dourados, vestidos de noite turquesa e carteiras que custam o preço de um modesto carro cinco portas - se exibe desfilando à beira da piscina? (Evidentemente, há várias cenas em que o quarteto usa salto alto, e este, como falei, é apenas o trailer.) Carrie Bradshaw encontra a Princesa Jasmine: e, de repente, as calças de harém começam a fazer todo o sentido. / TRADUÇÃO ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.