Servidores do Ministério da Cultura anunciam greve nacional

Amanhã funcionários federais de São Paulo decidirão em assembleia se vão participar da paralisação

Jotabê Medeiros - O Estado de S.Paulo,

23 de agosto de 2011 | 21h42

SÃO PAULO - Começou nesta terça-feira no Rio e estende-se já a Minas e Santa Catarina a greve nacional dos servidores do Ministério da Cultura (MinC), convocada pelos sindicatos de servidores públicos federais. Nesta quarta-feira, às 16h, os servidores de São Paulo (Museu Lasar Segall, Funarte, Cinemateca e Iphan) farão uma assembleia para decidir se vão participar da paralisação. Conforme a adesão, a greve - por tempo indeterminado - pode parar até 29 museus geridos pelo Instituto Brasileiro de Museus (autarquia vinculada ao MinC).

No Rio, o Museu Nacional de Belas Artes fechou para o público ontem, assim como o Museu da República, a Biblioteca Nacional, o Museu Imperial de Petrópolis, a Funarte Rio e a Chácara do Céu, entre outros. A paralisação no Rio foi decidida em assembleia com 300 servidores, na segunda-feira, no Palácio Gustavo Capanema, e envolve instituições em Cabo Frio, Itaipu, Benjamin Constant, Petrópolis e outras cidades.

Vicente Carmo, diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal do Rio disse que os grevistas reivindicam o cumprimento de acordo com o governo em 2007. O acordo, entre outras coisas, previa Plano de Carreira dos Servidores da Cultura, regulamentação da Gratificação de Titulação e aumento de 78% para todas as funções.

Representantes do Distrito Federal, Santa Catarina, Espírito Santo e Rio Grande do Sul também estão aderindo progressivamente. A Funarte MG aderiu na segunda. Em Santa Catarina, o Museu Victor Meirelles e a Superintendência Estadual do IPHAN entram em greve nesta sexta. O Estado entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do MinC, mas não recebeu resposta sobre a paralisação até o fechamento desta edição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.