Série promove "viagem" pelo espaço sideral

Você sabe como surgiram as estrelas? E o Sol? Qual o formato exato da Lua? Será que existe extraterrestre? As respostas para todas essas perguntas estão na série intitulada Enciclopédia Cósmica Digital, uma viagem virtual pelo espaço. As últimas descobertas astronômicas serão retratadas pela TV Cultura em 11 episódios semanais de uma hora de duração, a partir de amanhã, às 10h30. A apresentação será do professor de Astronomia da PUC-SP Walmir Cardoso.O episódio de estréia, O Nascimento das Estrelas, explica como surgem e onde se localizam as estrelas. É no Monte Mauna Kea, um lugar onde a atmosfera é límpida e desobstruída de luzes da cidade que estão os telescópios de nove países, como Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Do monte, que fica 4.200 metros acima do mar, as imagens são captadas por câmeras 10 mil vezes mais sensíveis que as de televisão.Acredita-se que as estrelas nasceram de aglomerados abertos de poeira e gás em movimento, que também originaram os planetas. Em nossa galáxia, existem 100 bilhões delas, que nascem e morrem constantemente, em um ciclo que nunca termina.As azuis, chamadas de Plêiades, estão na constelação de Touro e nasceram há quase 500 anos. Perto do Sol, que existe há 4,6 bilhões de anos, elas podem ser consideradas bebês de apenas seis meses. Existem também as estrelas Trapézios, as Nebulosas de Orion, de Ômega, Lagoa, Cabeça do Cavalo e da Água - está última encontra-se na Via Láctea.Imagens do Hubble - Além do processo de formação das estrelas, neste episódio são mostrados os instrumentos usados na observação dos corpos celestes e as imagens do Telescópio Espacial Hubble e do maior telescópio do mundo, que fica na Rádio Observatório Espacial do Monte de Nobeyama, no Japão. Neste capítulo, também é revelado o surgimento de centenas de milhões de novas estrelas após colisões entre galáxias.As imagens captadas de telescópios e satélites em A Verdadeira Face do Sol, que será exibido no dia 19, revelam a importância da Estrela-Mãe, aquela que emite a energia vital para a sobrevivência de todos os seres vivos do planeta. Neste dia, serão mostradas imagens que registram a liberação de gás hidrogênio, causando explosões na superfície solar, equivalente a vários bilhões de vezes a de uma explosão nuclear, com uma temperatura de até 1,5 milhão de graus Celsius. Os próximos episódios falarão de Júpiter, Lua, Marte, Galáxias, Extraterrestres, Meteoros, Asteróides e, finalmente, sobre a Terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.