Sentenças

Com Lula ocupando a suíte presidencial, ou coisa parecida, onde colocarão os figurões que começarão – para não serem chamados de hipócritas – a prender?

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S. Paulo

12 Abril 2018 | 02h00

Deixa ver se entendi. O Moro condenou Lula a nove anos e pouco de reclusão. Os juízes da segunda instância concluíram que nove e pouco era pouco e aumentaram a pena para 12 anos e um mês. A razão de nove e pouco e a razão de 12 e um são desconhecidas. Imagina-se que exista uma tabela que determine a duração da pena de acordo com o crime. Neste caso, Moro e os juízes de Porto Alegre tinham tabelas diferentes. Ou a tabela mais branda do Moro estava vencida. Ou então a segunda instância quis provar que era mais dura do que o Moro e acrescentou três anos à condenação, por sua conta. Três anos, dirá você, não é muito. Isso porque não é você, desalmado, o preso, obrigado a tomar o sopão da Polícia Federal todos os dias.

Outra hipótese é que exista um certo ciúme do Moro entre os juízes, que querem aparecer mais do que ele, dando sentenças maiores. O fato é que os critérios para escolher quem pega nove anos e um pouco e 12 anos e um mês (esse um mês é sádico) ninguém sabe quais são. São aleatórios. (Ainda se usa “aleatório”?)

Estou escrevendo sem saber como foi a sessão de ontem do Supremo, onde Lula poderia ganhar uma sobrevida fora da prisão. O Supremo teve o destino do Lula nas suas mãos, quando decidiu aceitar ou não o habeas corpus que o deixaria livre. Um só voto definiria seu futuro – a liberdade ou 12 anos e um mês na prisão. A votação estava empatada, cinco a cinco, o que significa que metade dos ministros aceitava o habeas corpus. Um escore tão apertado, levando em consideração o que estava sendo votado, justificaria pelo menos uma segunda rodada, para que todos examinassem suas consciências e repensassem seus votos – ou não. Eu sei, eu sei. Não pode. Mas também um só voto não deveria ter tal poder sobre a vida de um homem. Ontem, o Supremo teve a oportunidade de se redimir.

A Polícia Federal de Curitiba está com um problema hoteleiro. Com Lula ocupando a suíte presidencial, ou coisa parecida, onde colocarão os figurões que começarão – para não serem chamados de hipócritas – a prender? E as sentenças dos figurões? Quais serão as sentenças? Nove anos e um pouco, 12 anos e um mês? O que dirá a tabela?

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.