Sensação térmica de primeiro mundo

Rédea curta

TUTTY , HUMOR, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h10

A rainha Elizabeth II tem recebido boletins de oito em oito horas

sobre o comportamento do

príncipe Harry em Washington.

É a primeira vez dele nos EUA

depois daquele strip bilhar

em Las Vegas. O caçula de

Lady Di prometeu à avó não

tirar a roupa nem para tomar

banho quando chegar a Nova York.

Câmara dos Lordes

No melhor momento do debate

sobre a MP dos Portos no

Congresso, um deputado

com sotaque gaúcho gritou

do plenário para a tribuna:

"Qual é o negócio, Garotinho? Seja homem e diga!". No mais,

tem sido uma chatice!

Modo de falar

O prefeito do Rio, Eduardo Paes,

revelou que "o Engenhão foi

feito nas coxas", mas ninguém

deve tentar repetir a experiência

em casa para não se machucar.

Pós-tomate

Se você é desses que está

preocupado com o novo

vilão da inflação na feira,

ora vá plantar batatas! O quilo

dessa que a gente conhece

como "inglesa" já está

a quase R$ 5.

Anticastrismo tem limite

Os irmãos Castro presos por

triplo sequestro e estupros

em Cleveland são outros.

E não se fala mais nisso, ok?

Rápido no gatilho

Afif Domingos levou quase

48 horas para decidir se

abriria mão do salário de

vice-governador (R$ 19.629,00)

ou de ministro (R$ 26.723,13).

Está aberta a temporada das reportagens sobre a sensação térmica de não estar no Brasil estando nas regiões serranas do Sul do País. Os primeiros carros com cobertura de gelo, a geada no campo, a cachoeira congelada e, com um pouco de sorte, os 15 segundos de fama da neve na manchete do Jornal Nacional.

Em nenhum outro lugar do mundo, que eu saiba, a imprensa não dorme à espera de um flagrante de frio de rachar. Pode ser o termômetro da pracinha registrando três graus negativos antes do amanhecer ou o passeio do turista agasalhado para pernoitar no Himalaia.

Dá pena ver as jovens repórteres dos telejornais da manhã batendo queixo nos vilarejos em busca do plano síntese do inverno que se anuncia sem novidades climáticas em 2013.

Resta saber se juntando toda a neve que cair em São Joaquim (SC) vai dar para a turistada fazer ao menos um boneco na calçada do hotel.

É o tipo de deslumbramento que, cá pra nós, não chega a ser mais ridículo que aplaudir o pôr do sol no verão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.