Seminário reúne psicanalistas lacanianos

Jacques Lacan, chamado de o outro pai da psicanálise, cujo centenário de nascimento foi comemorado em 2001, vinte anos depois de sua morte, causou furor com seus ensinamentos na Paris dos anos 60 e 70. Lacan publicou seu primeiro livro, Écrits, em 1966, quando tinha 65 anos de idade. Até então, ele era conhecido apenas no restrito ciclo de médicos que assistia aos seus seminários no Hospital Sainte-Anne. Mas, depois de Écrits, passaram a ser realizados na École Normale Supérieure, onde "uma multidão de senhoras e de poetas de vanguarda ali se amontoava todas as quartas-feiras", conta o escritor e jornalista Gilles Lapouge, que presenciou uma dessas reuniões.Nesta quarta-feira, o psicanalista Jorge Forbes reproduz no mesmo horário instituído por Lacan, o seminário que já vem realizando há muitos anos. Desta vez, até junho, o tema será Vergonha, Honra, Luxo - instrumentos para clínica psicanalítica da pessoa e da civilização do século 21, das 13h30 às 15h30, no Centro de Convenções Rebouças, para psicanalistas ou não, mediante pagamento de uma taxa de R$ 350,00. Desta vez, os encontros terão participação do filósofo e professor da USP Renato Janine Ribeiro. O seminário vai discutir como tratar a pessoa do século 21. "Esta pessoa é de um novo mundo, globalizado, cuja forma de amar, sorrir, chorar e se comportar são diferentes do homem do século passado", diz Forbes. "Da mesma maneira, esta civilização do século 21 não tem nada a ver com a anterior, ela se pauta por uma nova ética, daí a participação do Renato Janine Ribeiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.