Seminário no Espírito Santo discute as relações da arte atual

O sucesso da primeira edição aumenta a expectativa para a segunda edição do Seminários Internacionais Museu Vale do Rio Doce, que começa nesta quarta-feira, 14, em Vila Velha, no Espírito Santo. Se no ano passado os encontros tratavam da arte e o pensamento, agora as discussões serão em torno dos sentidos e sua relação com a arte contemporânea. Já na abertura, nesta noite, a professora Eliane Escoubas, da Universidade de Paris, aborda o tema O Nada, o Sentido e a Arte Contemporânea. Em seguida, será lançado o livro Sentidos e Arte Contemporânea, uma coletânea que reúne os textos apresentados nos debates.Filósofo e diretor cultural do Louvre, Jean Galard faz na quinta a primeira palestra do dia, quando vai tratar da política na arte contemporânea. Segundo ele, a relação pode tanto ser militante como decorativa. Ou ainda a arte pode se posicionar de forma a garantir sua autonomia, sem o risco de elaborar soluções. Participa, da mesma mesa, o professor Renato Janine Ribeiro, que vai apresentar a relação entre a arte e o mal, que aparece desde o século 19, com Flores do Mal, de Baudelaire, até chegar ao mundo contemporâneo, marcado pelo ataque às torres gêmeas, em Nova York.A segunda mesa de quinta continua no mesmo assunto ao tratar da política da arte contemporânea. O filósofo Peter Pál Pelbart e a artista Mônica Nador discutem o terrorismo como nova narrativa. Ou seja, a violência, o medo e a abjeção como elementos artísticos.Os debates continuam no sábado, quando será analisado o espaço na arte contemporânea, e se encerram no domingo, quando as discussões giram em torno do corpo na arte contemporânea. Mesmo quem não puder ir a Vila Velha poderá acompanhar as palestras via internet e até baixar gratuitamente os arquivos de texto pelo site.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.