Semanas masculinas da moda propõem aumento de interesse e praticidade

Eventos europeus evidenciaram homens que se preocupam com a moda, mas sem perder a leveza

Flavia Guerra, O Estado de S. Paulo

30 Junho 2014 | 02h00

Entra ano, sai ano e a clássica máxima de que a moda para os homens, por mais que ouse, esbarra sempre na questão de que eles querem praticidade, discrição, cores e cortes mais sóbrios que as mulheres. Ainda que os ventos das feiras e semanas de moda masculina que agitam o mundo fashion nestas semanas tragam ares de inovação e gosto deles por paletós coloridos, cores mais fortes, como o vermelho, e até mesmo estampas e bordados, é sempre difícil convencer o homem contemporâneo que é possível estar na moda sem se tornar refém dela. 

Pois nas últimas Semana de Moda Masculina de Londres (de 15 a 17 de junho), Milão (de 21 a 24 de junho) e Paris, que se encerrou ontem, o que se viu foi uma brava tentativa das mais importantes grifes internacionais de propor um verão 2015 fashion e focado no aumento do interesse masculino pela moda, mas sem perder a leveza e a praticidade.

Há pitadas de ousadia, como a forte tendência do vermelho (proposta da Dolce&Gabbana), dos paletós coloridos, das estampas (principalmente as listras e os florais, como na delicada coleção de Valentino em Paris), mas há também o confortável cardigã, a prática sandália e o descontraído denim. Obviamente, tudo ganhou uma leitura fashion, mas nada que tire os homens mais clássicos de seu rumo. 

E já que uma das palavras-chave do guarda-roupa masculino é conforto, é ele, o mais do que clássico cardigã que parece ser a peça forte da próxima estação. O item, a propósito, anda em alta na Inglaterra. Tudo porque o jogador francês Thierry Henry ousou aparecer no principal programa esportivo da BBC com um descolado cardigã azul-escuro com debrum azul-claro. Henry, que comenta jogos da Copa do Mundo ao lado dos apresentadores da casa, Alan Shearer e Rio Ferdinand, provou aos milhares de torcedores fanáticos por futebol que é possível ser fashion e masculino ao mesmo tempo. Agradou tanto que ele e sua peça fashion estiveram entre os trend topics da semana no Reino Unido. 

É bom lembrar que já foi um clássico imprescindível, passou por fases em que só fazia sucesso entre os mais modernos, mas agora promete ganhar de vez os mais básicos. Quem aposta nisso são as italianas Versace, Bottega Veneta e Ermenegildo Zegna, que apresentaram em Milão diversas versões.

Os cardigãs ora surgiram em cores lavadas, ora em tons de azul-claro ora mais escuros. A Armani mostrou-os em tons de azul e cinza, listrada e lisa, com e sem bolsos. Já a Bottega Veneta investiu em tons de azul manchado e corte mais clássico. No desfile de Ermenegildo Zegna, surgiu em versão maxi de tricô, com listras grossas horizontais, evocando conforto. 

Se a peça aparece como uma ousadia retrô nesta nova estação, os tons de azul são a certeza de que algo de clássico e básico tem de permanecer no guarda-roupa do homem contemporâneo. Mesmo com bem-vindaspropostas de uso de cores mais marcantes como o rosa (na Cuba fashion de Donatella Versace) e pink, o básico azul ainda é hit certo no verão deles. E a cor chega em tons lavados, numa forte tendência de ‘roupa gasta de quem não se preocupa muito com moda’, nas coleções de Giorgio Armani e Bottega Veneta. Na Prada, Ermenegildo Zegna, Versace, Louis Vuitton, Yohji Yamamoto e o belga Kris Van Assche (estes três em Paris), os tons são variados e vão do azul-marinho até o denim claro. 

Ainda na palheta de cores para eles, outra tendência que chega com força é o nude. Calvin Klein e Versace apostam firme que os tons de bege e terrosos vão cair no gosto masculino. Nos acessórios, como bolsas e sapatos, os tons de marrom e neutro, além do preto, também predominam. Por falar em acessórios, além das maxibolsas, bolsas de mão superpráticas, é a mochila quem ganha destaque. As versões preto listrado da Armani prometem fazer sucesso entre os mais jovens. 

De volta ao azul, mas focando mais no material, é o denim da Prada quem traz ares vintages a uma coleção que primou pelo rigor das formas, do corte, mas que trouxe a leveza do material que, mesmo quando muito bem trabalhado, nunca é ‘impecável’ demais.

 

A propósito, se há uma aposta certa para o verão 2015 esta é o denim. Além de ganhar a primeira fila do desfile da de Miuccia Prada, o material também foi proposto pela Gucci e por Tom Ford. Na Prada, em seu típico tom de azul-escuro, no preto e até mesmo em azul claro, surgiu ora em looks completos, de calça, camisa e casaco, ora em um sobretudo, uma camisa ou uma calça. As peças são valorizadas pelo pesponto espesso, que destaca o corte e dá modernidade. Destaque para o look feminino de saia e jaqueta, que integra a coleção resort feminina, que Miuccia desfilou junto com a masculina. 

E como verão é tempo de pés à vontade, as sandálias são apostas de diversas marcas. Mas, em vez das sandálias de dedo, quem deve ganhar as ruas são as versões modernas das franciscanas e das birkins. Com tiras de couro, base ampla e larga, confortáveis, ideais para um fim de semana tranquilo, um passeio no parque ou uma ida ao supermercado sem grandes complicações. A julgar por grifes como Armani, Prada, Bottega Veneta, elas vão pisar forte na estação mais quente. 

Por falar em temperatura alta, a tendência certa é o vermelho. Dolce&Gabbana, com sua inspiração espanhola, e a Cerruti em Paris indicam que o tom é que vai ferver no verão 2015. 

Para as mulheres, calendário é aberto em 4/9, em NY

Depois de Londres desfilar suas coleções masculinas de 15 a 17 de junho, de Milão trazer as novidades de 21 a 24 de junho, o calendário das mais importantes semanas de moda masculinas chegou ao fim ontem, com os últimos desfiles na semana de Paris. E o circuito já começa a se preparar para receber as novidades das coleções femininas de verão nas maiores semanas do mundo. 

Nova York abre o calendário do prêt-à-porter do segundo semestre com desfiles de 4 a 11 de setembro. Londres vem em seguida, trazendo as novidades das sempre ousadas marcas inglesas de 12 a 16 de setembro. 

Em seguida, a tradicional semana de Milão mostra o que as grifes italianas reservaram para as próximas estações de 17 a 23/9. 

Já Paris, antes disso, realiza a semana de alta-costura de 6 a 11/7, com a produção mais sofisticada da moda internacional. Em seguida, a capital francesa fecha o calendário internacional de 23 de setembro a 1º de outubro. No Brasil, as marcas desfilam suas coleções Outono/Inverno 2015 de 3 a 7/11 de 2014. / F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.