Semana cultural homenageia SP

A semana tem suas atrações, todas voltadas para o aniversário da cidade, na sexta-feira, abrindo um grande feriadão. Por isso mesmo, as homenagens foram todas adiantadas. São Paulo ?sabe? que, em seu aniversário, pouca gente sobra por aqui para comemorar. Ainda bem. Se tem um presente que a cidade aceita de bom grado, é ficar vazia de vez em quando... Hoje é o vernissage da exposição Foto São Paulo no Pólo Cultural Júlio Prestes. São imagens do centro visto pelas lentes de mais de 1.500 fotógrafos, entre profissionais e amadores. A mostra é o resultado do Projeto Foto São Paulo, uma Jornada Cívica e Fotográfica pela Recuperação do Centro, promovida pela Secretaria de Estado da Cultura em setembro de 2001. Participam nomes famosos como os de Claudio Edinger, Claudio Elisabetsky, Eduardo Muylaert, Marcos Rosa, Nellie Solietrenick, Rui Mendes e Vânia Toledo. Amanhã, a estrela será Dorival Caymmi. Mesmo sem estar presente. É que sua neta Stella Caymmi, filha de Nana, autografa o livro Dorival Caymmi: O Mar e o Tempo, no Hotel Inter-Continental. O clã Caymmi promete canjas, enquanto baianas distribuirão acarajés. Parte da renda da venda do livrão de 600 páginas, com 300 imagens, será doada ao Instituto Pró-Queimados. A Galeria Fortes Vilaça abre a exposição Rotativa Fase 2 com a participação dos cariocas Chelpa Ferro e José Damasceno, do alemão Franz Ackermann, do grupo cubano Los Carpinteros, do português Julião Sarmento e de Efrain Almeida, Leda Catunda, Luiz Zerbini, Nuno Ramos, Rosangela Rennó, Saint Clair Cemin, entre outros. Na Casa das Rosas abre-se a mostra Rendam-se Terráqueos, com 14 artistas que nos anos 80 interferiram no espaço urbano, entre os quais Ciro Cozzolino, Carlos Matuck, Hudinilson Jr., Zé Carratu. Marcos Mello é o curador convidado. Além disso, a escritora Márcia Denser autografa o livro Toda Prosa, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. Na quarta-feira, o MAM abre a mostra Além dos Preconceitos, com curadoria da checa Milena Kalinovska, ex-diretora do Institute of Contemporary Art de Boston, que examina a simultaneidade e as assimetrias das idéias que regeram a produção artística na década de 60 e 70 em diversas partes do mundo, por meio das obras de 21 artistas das Américas e Europa. Enquanto isso, o Bourbon Street Music Club encerra o Summer Jazz, com Ron Carter e seu quarteto passeando pelo repertório mais recente. No Blen Blen, a artista plástica Fabiana Batista abre a exposição Retratos, composta de esculturas de bustos da nova geração de cantores e compositores da MPB. Nada na quinta, véspera de feriado e dia de debandada geral. Mas, na sexta, o Centro Cultural Banco do Brasil - São Paulo inicia seu segundo ano de atividades presenteando a cidade com a estréia do espetáculo Barroco! Trata-se de um painel da ópera barroca, colorido e extravagante, dirigido por Marcelo Fagerlande e Alberto Renault. No elenco, Edna D´Oliveira, Luanda Siqueira (sopranos), Joana Thomé (meio-soprano), Luciano Botelho (tenor) e Licio Bruno (baixo-barítono). No Teatro Ruth Escobar estréia o Grupo Luz e Ribalta, com o espetáculo Homens de Papel, de Plínio Marcos. E, no Sérgio Cardoso, estréia para três apresentações o espetáculo de sapateado Retalhos, coreografado pelo sapateador americano Jimmy Tate, do elenco do musical da Broadway Bring In Tha Fun, Bring In Tha Noise. Além de muita música prometida por Marta Suplicy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.