Sem captar, Lourenço faz desfile digital

Coleção de verão do estilista será transmitida online em Paris, em outubro, e realizada com investimentos da marca

Flavia Guerra, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2013 | 02h22

Em vez de desfilar sua nova coleção verão 2014 na passarela da Semana de Moda de Paris, Pedro Lourenço fará um desfile online em 1.º de outubro. O jovem estilista, que conseguiu há pouco mais de um mês a aprovação do Ministério da Cultura para captar, por meio da Lei Rouanet, R$ 2,8 milhões, afirmou em comunicado oficial que não teve tempo hábil para captar o valor necessário para o evento.

Por isso, Lourenço optou por substituir o desfile (que ocorreria no próximo domingo, no Westin Hotel de Paris) pela mesma estratégia que já havia realizado na edição passada da semana de moda francesa, quando mostrou sua coleção online.

Assim como na última edição, o desfile virtual será financiado com recursos próprios. "O formato digital foi definido para o lançamento desta coleção devido ao sucesso da apresentação feita em março último", informou ele, via nota oficial.

Além da demonstração pela internet, será organizado um press day, evento para a imprensa especializada em que o estilista mostrará suas peças para os jornalistas. A nova coleção é inspirada em Carmen Miranda e vai trazer looks que remetem aos valores culturais e estéticos da cantora em 75 itens feitos à mão.

Segundo mecanismos da lei de isenção fiscal, Lourenço tem até 31 de dezembro para levantar recursos para seu projeto, que ainda conta com um desfile na Paris Fashion Week, em março de 2014, para mostrar a coleção Outono-Inverno. O projeto inclui também exposição de objetos e workshops.

Polêmica. Não foi só Lourenço que teve sua proposta aprovada para a captação de verba por meio da Lei Rouanet. Em finais de agosto, três projetos receberam luz verde para financiar, ao todo, R$ 7, 6 milhões para a realização de desfiles ainda este ano.

Como o projeto de Lourenço havia sido indeferido pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura e só foi aprovado após intervenção da ministra da cultura Marta Suplicy, o caso gerou polêmica. "Meu investimento de tempo, energia e dinheiro não é só um projeto pessoal, mas pode abrir portas para jovens talentosos e potenciais grandes estilistas, e incentivá-los a expressar suas vozes no mundo globalizado", declarou o estilista ao Estado.

O mineiro Ronaldo Fraga pode pleitear R$ 2 milhões para realizar suas duas próximas coleções e desfiles na São Paulo Fashion Week, em final de outubro. Como desdobramento, irá também realizar mostras relacionadas aos temas abordados, tais como Mário de Andrade, João Cabral de Melo Neto e o artesão Espedito Seleiro.

Já Alexandre Herchcovitch ganhou permissão para captar R$ 2, 6milhões, para criar a coleção que desfilou há pouco na Nova York Fashion Week, no início do mês, e que vai desfilar em março na São Paulo Fashion Week. Assim como Lourenço, Herchcovitch, que desfila há mais de dez anos no exterior com recursos próprios, não havia captado em início de setembro o valor junto a patrocinadores para financiar seu desfile inspirado na Antropofagia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.