Sem as tops, nada de solidariedade

Faltaram top models e solidariedade na festa da agência de modelos Ford Models, que na noite de terça-feira reuniu parte de seu staff num estúdio na Vila Olímpia com o objetivo de fazer um evento de fim de ano com caráter social. A idéia da dona da agência, a ex-modelo Denise Céspedes, naufragou. Ela queria colocar as tops para vender camisetas da Ação Social e reverter o dinheiro para famílias carentes, participando assim do programa Natal Sem fome. Denise dizia, toda esperançosa no começo da noite, que esperava vender as mil camisetas encomendadas para o evento. "As modelos vão inspirar a solidariedade nos convidados", acreditava. Mas não foi assim. Primeiro porque faltaram tops - Mariana Weickert, uma das musas prometidas, não foi porque "ficou doente", informou a assessoria de imprensa. E os convidados não se animaram em desembolsar R$ 15 pela camiseta. No final da noite, nem cem peças haviam sido comercializadas. A coordenadora do Ação Social, Najda Faraone, não se conformava. "Tem tanta gente aqui e tão poucos compram... Esse pessoal torra R$ 150 na noite, mas não gasta R$ 15 na camiseta". Ela arrecadou para a Ação Social pouco mais de R$ 1,3 mil, mas quando chegou à festa, pensou que fosse conseguir dez vezes mais. Vanessa de Assis (foto), de 18 anos, vencedora do Super Models Brasil (concurso promovido pela própria agência), uma das modelos de maior evidência do evento, até tentou bancar a vendedora empenhada. Acompanhada da new face Renata Sbaraglia (foto), de 14 anos, as duas esbanjavam sorrisos e quando alguém se aproximava, perguntavam: ´Quer comprar uma camiseta?´ Poucos disseram sim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.