Selvagem da Motocicleta, ainda belo

Piratas Modernos

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2012 | 03h09

16 H NA GLOBO

(Jumping Ship). Austrália, EUA, 2001. Direção de Michael Lange, com Joseph Lawrence, Matthew Lawrence,

Andrew Lawrence, Susan Walters, Stephen Burleigh, Anthony Wong.

Bon vivant é intimado pelo pai a arrumar um emprego para pagar as suas próprias despesas, que não são poucas. Mesmo assim, ele dá continuidade aos seus planos de viajar com o primo para a Austrália, onde um iate reservado os espera.

A promessa é de comédia. Re-prise, colorido, 90 min.

Sherlock Holmes

22H45 NO SBT

(Sherlock Holmes). EUA, 2009.

Direção de Guy Ritchie, com Robert Downey Jr., Jude Law, Rachel

McAdams, Mark Strong.

Na Inglaterra do fim do século 19, o detetive Sherlock Holmes, famoso pelas técnicas na solução de seus casos, e seu fiel escudeiro, o doutor John Watson, se envolvem numa perigosa aventura para encontrar lorde Blackwood que, graças às suas bruxarias, saiu do túmulo para ameaçar a paz mundial. Primeiro filme envolvendo o diretor Guy Ritchie com os dois astros, formando uma bem-sucedida parceria para narrar as incríveis histórias de Holmes e Watson. A graça reside justamente aí: o roteiro cria situações mirabolantes que, graças aos efeitos especiais, transformam o filme em uma adorável diversão. O segundo longa, Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras, já está disponível em DVD. Inédito, colorido, 85 min.

Turistas Espaciais.

0 H NA CULTURA

(Space Tourists). Suiça, 2009. Direção de Christian Frei.

Documentário bem-humorado acompanha a maneira como bilionários saem de nosso planeta Terra para ir para o espaço cósmico, por pura diversão. O cineasta Christian Frei encena encontros com as pessoas mais improváveis, lugares mais estranhos e desconhecidos do que o próprio espaço cósmico. Visão irônica que não deixa de encobrir uma crítica aos poderosos. Reprise, colorido, 58 min.

TV Paga

O Signo do Caos

16H30 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2003. Direção de Rogério

Sganzerla, com Otávio Terceiro, Sálvio do Prado, Camila Pitanga, Giovana Gold, Eduardo Gabus, Helena Ignez.

Chega à alfândega do Rio de Janeiro uma carga de material cinematográfico. Mas esse material somente poderá ser liberado depois da análise pelo serviço de censura do governo. O responsável por isso é o dr. Amnésio. Derradeiro filme de Rogério Sganzerla (1946-2004), também diretor de, entre outros, O Bandido da Luz Vermelha, Copacabana Mon Amour e A Mulher de Todos, o tema é um dos mais recorrentes de sua obra: a vinda de Orson Welles ao Brasil no início dos anos 1940, onde rodou, mas não terminou It's All True, um documentário a princípio concebido como parte da política da boa vizinhança de Roosevelt, durante a 2ª Guerra Mundial. Assim, em O Signo do Caos, ele relembra essa história de maneira descontínua, fragmentada, como era seu estilo. Difícil para alguns, o longa-metragem, no entanto, não passa despercebido, especialmente por alguns dos mais belos planos do cinema brasileiro contemporâneo. Reprise, colorido, 80 min.

O Selvagem da Motocicleta

18H15 NO TELECINE CULT

(Rumble Fish). EUA, 1983. Direção de Francis Ford Coppola, com Matt

Dillon, Mickey Rourke, Dennis Hopper, Diane Lane, Nicolas Cage, Fiasne

Scarwid.

Um dos grandes filmes com espírito juvenil de Francis Ford Coppola. Aqui, um adolescente vive à sombra do irmão motoqueiro: ele é tudo o que o garoto sonha ser. Foi a segunda adaptação feita pelo diretor de um livro de Susan Hinton - antes foi Jovens sem Rumo, que ele fez para ganhar dinheiro e saldar dívidas que contraíra com O Fundo do Coração. Na cena mais bonita, Mickey Rourke, representando a geração das drogas, tem um diálogo impossível com o pai, Dennis Hopper, a geração da bebida. Um grande filme. Reprise, preto e branco, mas com o detalhe do peixe colorido (que as cópias de TV muitas vezes não mostram), 94 min.

O Cozinheiro, o Ladrão, Sua

Mulher e o Amante

23H45 NO TELECINE CULT

(The Cook, the Husband His Wife and Her Lover). Inglaterra/Holanda,

França, 1989. Direção de Peter

Greenaway, com Tim Hoth, Michael Gambon, Helen Mirren, Richard

Borhringer.

Criminoso banca restaurante de chef a quem humilha. Sua mulher arranja um amante e o restaurateur, como pirraça, acoberta o casal. Essa continua sendo a obra-prima do inglês Greenaway (ao lado de A Última Tempestade), que despontou como grande cineasta nos ano 1990 por conta das inserções tecnológicas que combinavam com a arte. Só que ele não acompanhou a evolução do mundo e seu cinema tornou-se repetitivo. Aqui, Greenaway está em plena forma, com belas imagens, linguagem cifrada e atores carismáticos, que compreendem o partido do autor, teatralizando a ação (que culmina em canibalismo). Não é para qualquer público, mas vale uma espiada. Atenção para a bela trilha sonora de Michael Nyman. Reprise, colorido, 124 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.