Seleção da semana

Uma festa de Kikitos

, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2011 | 00h00

No jornal do Festival de Cinema Brasileiro e Latino de Gramado, José Carlos Avellar, um dos curadores do evento (com Sérgio Sanz), explicou a inclusão de Riscado na mostra competitiva deste ano. Afinal, o longa de Gustavo Pizzi, interpretado (e coescrito) por sua mulher, Karine Teles, já havia sido premiado na Première Brasil do Festival do Rio no ano passado. Além de o filme se inscrever no projeto de cinema autoral que Sanz e Avellar defendem para Gramado, o curador considerou que a exposição no festival poderia ajudar a impulsionar o lançamento.

Pode até ser que ele não estivesse considerando as possibilidades de premiação, para aumentar ainda mais a projeção. Mas Riscado saiu de Gramado consagrado com importantes prêmios do júri oficial (direção, roteiro e atriz), mais o prêmio da crítica. Da serra gaúcha, foi para o World Cinema Festival, em Amsterdã, e ganhou uma menção do júri. É assim, fartamente recomendado, que Riscado finalmente chega aos cinemas, na sexta-feira.

O filme nasceu das interrogações que Karine Teles se fazia. É sobre a batalha de uma atriz para viver de seu trabalho, mas é também sobre chance e oportunidade. A protagonista mostra seu potencial, mas só isso não basta. Ela precisa convencer os outros, ganhar sua confiança. Dessa maneira, Riscado vira uma metáfora das próprias dificuldades der se fazer cinema no Brasil.

O título vem de uma expressão antiga e que era muito empregada na linguagem dos alfaiates. Quando diziam que uma pessoa "entende do riscado", eles estavam justamente reconhecendo sua competência. A atriz dentro do filme entende do riscado, mas quem garante que ela vai conseguir o papel? Afinal, o diretor também sofre pressão e outra atriz, mesmo que eventualmente menos talentosa, talvez possa abrir portas que a outra mantém fechadas. É um belo filme, feito com paixão pelo casal Pizzi/Teles./ LUIZ CARLOS MERTEN

RISCADO

Direção: Gustavo Pizzi (Brasil/ 2010, 83 min.). Elenco: Karine Teles, Camilo Pellegrini, Otávio Muller, Dany Roland. Estreia prevista para sexta

Palavras em ação

É a primeira vez que Deborah Colker se inspira em uma obra literária para conceber um espetáculo de dança - Tatyana é baseado em Eugene Onegin, o romance em versos publicado em 1832 por Aleksandr Puchkin (1799-1837), considerado pai da literatura russa. São dois atos, em que a compreensão da história, se não é vital, auxilia a entender a forma como a famosa coreógrafa (foi responsável por Ovo, um dos mais recentes trabalhos do Cirque du Soleil) transformou palavras em belos movimentos. / UBIRATAN BRASIL

TATYANA

Quando: Sexta., 21h30; sáb., 21 h; dom., 18 h. Até 18/9. Onde: Teatro Alfa. R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, 5693-4000. Quanto: R$ 40 a R$ 100.

Um mestre total

Faz tempo que o mito da arte caiu para o artista Nelson Leirner, mas suas críticas e questionamentos, em mais de 50 anos de trajetória, estão todos nas obras da mostra que ele inaugura amanhã na Galeria de Arte do Sesi. / CAMILA MOLINA

NELSON LEIRNER

Quando: 3ª a sáb., 10 h/20 h (2ª, 11 h/ 20 h; dom., 10 h/19 h). Até 6/11. Onde: Galeria de Arte do Sesi. Av. Paulista, 1.313, tel. 3146-7405. Quanto: Grátis.

Cotidiano com alma

Agilizando-se para dar conta da corrida agenda que alterna a divulgação de seu disco Nó na Orelha com outras apresentações ao lado de seus verdadeiros e talentosos amigos do Pagode da 27, do Grajaú, Criolo se apresenta nesta terça, no Estúdio Emme. O show marca o lançamento do clipe de Subirusdoistiozin, dirigido por Tom Stringhini e Alexandre Casagrande. Com sua banda de craques, ele interpreta os dez temas de seu álbum, além de Cerol (de sua autoria), sua versão para Cálice (de Chico Buarque e Gilberto Gil) e Domingo à Tarde (de Nelson Ned). / LUCAS NOBILE

CRIOLO

Quando: Terça, às 21 h. Onde: Estúdio Emme.

Avenida Pedroso de Morais, 1.036, Pinheiros,

telefone 2626-5835. Quanto: R$ 40.

Sonho na floresta

Obra de David Mamet, O Bosque merece versão de Alvise Camozzi. O diretor italiano, que já assinou a elogiada montagem de Só, conduz uma onírica leitura do texto do roteirista e dramaturgo norte-americano. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

O BOSQUE

Quando: Terça a quinta, às 19h30. Até 27/10.

Onde: CCBB. Rua Álvares Penteado, 112,

telefone 3113-3651. Quanto: R$ 6.

Diversão animal

Sucesso entre crianças e adultos, o espetáculo Bichos do Brasil, da Cia. Pia Fraus, está de volta comemorando dez anos de estrada. O texto de Beto Andretta e Beto Lima mostra a importância da preservação dos animais. / ELIANA SILVA DE SOUZA

BICHOS DO BRASIL

Quando: Sábado e domingo, às 16 h. Até 30/10.

Onde: Teatro Anhembi Morumbi. Rua Dr. Almeida Lima, 1.134, telefone 2872-1457. Quanto: R$ 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.