Seleção da Semana

PALAVRAS QUE MATAM

, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2011 | 00h00

Em 1983, quando encenou pela primeira vez um texto do dramaturgo sueco August Strindberg (Senhorita Júlia), o ator e diretor Elias Andreato apaixonou-se pelo estilo seco, incisivo, direto daqueles diálogos. Resolveu pesquisar outras peças do autor e encontrou Os Credores. Saiu em busca de patrocinadores e elenco, mas não encontrou sinal positivo em nenhum dos lados - ambos acreditam ser cruel demais aquela trama, em que um homem induz uma mulher a confessar sua pouca paixão pelo marido, provocando, com isso uma tragédia.

O tempo passou e a solução surgiu depois de uma coincidência: dois atores globais, Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo, dispostos a mostrar que são muito mais que galãs de novela, saíram atrás de um texto sério. Consultaram duas amigas, as produtoras e divulgadoras Célia Forte e Selma Morente, que indicaram a peça batalhada por Andreato. O círculo, finalmente, fechou-se.

Nesta segunda-feira, inaugurando um horário alternativo no Teatro Faap, estreia finalmente Cruel, novo título escolhido por Andreato para a peça de Strindberg. "Cruel se aproxima mais das intenções do texto, que oferece uma arguta observação do cotidiano da alma humana", justifica ele. Ao elenco, juntou-se a atriz Maria Manoella, vivendo Tekla, que se transforma no eixo de uma vingança de Gustavo (Gianecchini) que, por sua vez, usa Adolfo (Marmo) como bode expiatório.

"São personagens cheios de dualidade e complexidade, fingem emoções a ponto de dizerem uma coisa e pensar outra", comenta Gianecchini que, em cena, evita maneirismos ao transmitir o ódio represado de Gustavo. "No texto de Strindberg, um homem é capaz de matar o outro apenas com o poder de persuasão das palavras", observa Marmo. "O sueco promove um intenso debate de ideias e foi o primeiro autor a transformar o espectador em voyeur", completa Andreato. / UBIRATAN BRASIL

CRUEL

Quando: Segundas e terças, às 21 h - até 4/10. Onde: Teatro Faap. Rua Alagoas, 903, telefone 3662-7233. Quanto: R$ 40.

AUMENTA QUE É JAZZ

O teclado elétrico de John Medeski encabeça um trio de jazz que tem uma vibração que lembra uma simbiose de um show de James Brown e dos Strokes ao mesmo tempo. Desde que o Medeski, Martin & Wood veio ao Brasil pela primeira vez, arrasta consigo uma legião de fãs que não perde por nada no mundo sua performance elétrica. Ainda assim, não se afasta da volúpia improvisacional do velho jazz, o que os coloca no panteão dos mais modernos da atualidade. Tocam alto, tocam com fúria, forçam as portas. / JOTABÊ MEDEIROS

MEDESKI, MARTIN & WOOD

Quando: Terça, às 22h30. Onde: Bourbon Street. Rua dos Chanés, 127, Moema, tel. 5095-6100. Quanto: R$ 120.

OBRAS E TECNOLOGIA

Instalações e até robô que interpreta peça de Shakespeare são atrações da mostra Rumos Arte Cibernética, no Itaú Cultural. Entre as obras, interativas, o Campo Minado (foto), de Cláudio Bueno, estará na Praça Alexandre de Gusmão. / CAMILA MOLINA

RUMOS ARTE CIBERNÉTICA

Quando: De 30/6 a 4/9. 3ª a 6ª, 9 h/20 h; sáb. e dom., 11 h/20 h. Onde: Itaú Cultural. Avenida Paulista, 149, tel. 2168-1776. Quanto: Grátis.

SELETA PROGRESSIVA

Desde 2005, Daniel Ganjaman (foto) e o Instituto organizam a festa Seleta Coletiva. Quem já esteve lá em apresentações nas quais o grupo recebeu nomes como Criolo, Tulipa Ruiz, Verônica Ferriani, Juçara Marçal, Kiko Dinucci, Thiago França, entre outros sabe que pode sair do lugar com marcas positivas e indeléveis na alma. Depois de homenagear verdadeiras entidades, como Sabotage e Tim Maia, agora é a vez de tocar temas antológicos do Pink Floyd. / LUCAS NOBILE

SELETA COLETIVA - ESPECIAL PINK FLOYD

Quando: Quinta, 23 h. Onde: Studio SP

(Rua Augusta, 591, telefone 3129-7040).

Quanto: R$ 25 (R$ 15, com nome na lista).

NO ALTO DA SERRA

O premiado violinista Pinchas Zukerman, depois de concertos na quinta e sexta em São Paulo, sobe a serra no sábado à noite para abrir ao lado da Osesp a programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão. / JOÃO LUIZ SAMPAIO

FESTIVAL DE CAMPOS DO JORDÃO

Quando: Sábado, às 21 horas. Onde: Auditório Claudio Santoro. Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.800, tel. (12) 3662-2334. Quanto: R$ 100

PARA VER E LER

Jim Carrey está no Rio para promover sua nova comédia, que estreia sexta que vem. Os Pinguins do Papai baseia-se no livro de Richard e Florence Atwater que acaba de ser editado no País (pela Intrínseca). Veja, leia, divirta-se. / L.C. MERTEN

OS PINGUINS DO PAPAI

Direção: Mark Waters. Gênero: Comédia (EUA/ 2011). Elenco: Jim Carrey, Carla Gugino, Madeline Carrol. Estreia prevista para sexta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.