Seleção da Semana

O NERVOSO PIANO CUBANO

, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2011 | 00h00

Roberto Fonseca, estiloso herdeiro da mais fundamental escola do piano cubano, faz show em São Paulo, no Sesc Pompeia. Tudo passa pelo seu teclado. De Bola di Nieve a Bebo Valdés e Rúben González, é uma escola de instrumentistas extraordinários com um leque múltiplo de influências. No caso de Robertito, mais jovem do lote, os ecos de Keith Jarrett, de Bill Evans, Oscar Peterson e do jazz americano são audíveis, mas sua peculiaridade é manter-se umbilicalmente ligado à tradição, embora com um pé nos ritmos do seu tempo - o hip-hop, o funk, o R&B da Motown, a soul music.

Ele mantém grande diálogo com músicos de outras culturas, como o brasileiro Alê Siqueira e o cantor e violonista Raul Midón. Seu virtuosismo é permeado por suas referências de vida. No álbum Zamazu (2007), ele abria com um cântico tradicional, uma missa entoada por sua mãe, Mercedes Cortes Alfaro. "Para mim, a espiritualidade é o fator mais importante que tem na música", disse Fonseca certa vez.

Fonseca cultiva também grande apreço pelo senso de improvisação e pelo desenvolvimento progressivo e paciente de um som - como se buscasse a maturação de um vinho perfeito. Por baixo, a percussão é sempre tribal, afro-cubana por excelência. Fonseca obtém um blend entre a essência da música tradicional cubana com suas influências jazzísticas. A elegância de seu estilo, que se impôs sem precedentes na nova música cubana, está impregnada dessas contribuições, e da mais prazerosa maneira possível.

Ele já veio a São Paulo com o Buena Vista e acompanhando a diva Omara Portuondo, além de com sua própria banda. Aprecia a santería e tem grande interesse pelos ritmos que se desenvolvem nas ruas. Gosta do movimento e isso se reflete em seu piano. É um velho conhecido das plateias do Bourbon Street Music Club. / JOTABÊ MEDEIROS

ROBERTO FONSECA

Quando: Quinta, às 19 h. Onde: Sesc Pompeia, Teatro. Rua Clélia, 93, telefone 3871-7700.

Quanto: De R$ 4 a R$ 16.

SONS DA AMAZÔNIA

A diversidade sonora amazônica contemporânea marca presença novamente no Auditório Ibirapuera, na segunda edição do evento Terruá Pará, que tem direção artística de Carlos Eduardo Miranda e Cyz Zamorano. Trata-se de um abrangente panorama da boa música produzida na região e representada por nomes como Sebastião Tapajós, Fafá de Belém, Dona Onete, Lia Sophia, Gaby Amarantos (foto), Pio Lobato e Filipe Cordeiro, que trazem choro, carimbó, guitarrada, tecnobrega e outras tendências. / LAURO LISBOA GARCIA

TERRUÁ PARÁ

Quando: Sexta e sábado, às 21 h. Onde: Auditório Ibirapuera, Parque do Ibirapuera, portão 2, telefone 5908-4299. Quanto: R$ 30 e R$ 15.

CONDIÇÃO FEMININA

No filme, Catherine Deneuve é Suzanne, dona de casa da alta burguesia. As circunstâncias a colocam em outra via, ao enfrentar tanto o marido conservador, um industrial, quanto o político comunista. Potiche faz rir, mas é político. / LUIZ ZANIN ORICCHIO

POTICHE: ESPOSA TROFÉU

Direção: François Ozon (Comédia, França/ 2010). Elenco: Catherine Deneuve, Gérard Depardieu, Fabrice Luchini. Estreia prevista para sexta-feira.

A VOLTA DA TITULAR

A maestrina Marin Alsop faz a partir de quinta-feira seus primeiros concertos com a Osesp desde que foi anunciada como regente titular do grupo, posto que assume ano que vem. Por isso - e pelo repertório - as apresentações estão entre as mais aguardadas da programação deste ano da orquestra. Eles vão interpretar a Sinfonia n.º 5 de Gustav Mahler, que não apenas é uma das principais do universo sinfônico como era especialidade do mestre de Marin, Leonard Bernstein. JOÃO SAMPAIO

OSESP

Quando: Quinta e sexta, 21h; sáb., 16h30. Onde: Sala São Paulo. Pça. Júlio Prestes, 16, 3223-3966. Quanto: R$ 24 a R$ 135 (5ª, 10h, ensaio, R$ 10).

PRIMEIRA MOSTRA

Os artistas Carlos Fajardo e Leya Mira Brander são os convidados da 1.ª mostra do Programa de Exposições do CCSP, que apresenta os novos Nathan Tyger, Beba, Karen Kabbani (foto), Antonio Dorta, Flora Leite e Rodrigo Torres. / CAMILA MOLINA

PROGRAMA DE EXPOSIÇÕES 2011

Quando: De 25/6 a 14/8. 3.ª a 6.ª, 10/20h; sáb. e dom., 10/18h. Onde: Centro Cultural São Paulo. R. Vergueiro, 1.000, tel. 3397-4002. Quanto: Grátis.

METRÓPOLE DESNUDA

Descobrir o que há nas entranhas da metrópole e estimular a reflexão sobre vida urbana e cotidiano é o que pretende o Teatro da Vertigem com seu projeto Cidade Submersa, que irá ocupar o terreno da antiga Rodoviária da Luz. / ELIANA SILVA DE SOUZA

CIDADE SUBMERSA

Quando: Sexta, 18 h/ 22 h. Onde: terreno da antiga Rodoviária da Estação da Luz, em frente da estação Júlio Prestes. Inf.: 3255-2713. Quanto: Grátis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.