Seleção da Semana

MEL GIBSON, EM GRANDE FORMA

, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2011 | 00h00

Menos de uma semana depois de sua apresentação no festival de Cannes, Um Novo Despertar chega rapidamente aos cinemas brasileiros. O longa interpretado por Mel Gibson assinala mais umas incursão da atriz Jodie Foster pela direção. Mel e ela dividiram a cena em Maverick, de Richard Donner, e agora unem-se num projeto de recorte mais intimista.

O filme é sobre um homem em crise que se vale de um boneco de marionete para tentar se comunicar com o mundo. Jodie adora esse tipo de personagem, como sabem os espectadores de Mentes Que Brilham, seu longa de estreia. Em Cannes, ela fez uma gloriosa montée des marches. Estava acompanhada por Mel Gibson, mas ele fugiu à coletiva do filme.

Campeão de bilheterias, um dos astros mais bem pagos do mundo, vencedor do Oscar (por Coração Valente) - tudo isso é passado. Mel Gibson virou saco de pancada da mídia dos EUA, mas fez por merecer. O episódio de violência doméstica envolvendo a ex, as declarações antissemitas, a prisão por dirigir embriagado, tudo isso meio que acabou com ele. Lars Von Trier está vivendo um inferno parecido em Cannes, mas pelo menos não tem fugido às suas responsabilidades e dialoga com a imprensa.

Na coletiva, sem querer propriamente defender seu ator, Jodie disse que Mel a surpreendeu pela entrega ao papel. Ela diz que não sabe - nem conversou sobre isso - se ele usou o personagem como alter ego para refletir sobre seus problemas. O que a diretora acha injusto é que, por causa do homem, o artista esteja sendo massacrado. Mel Gibson apresenta uma das melhores, senão a melhor interpretação de sua carreira em Um Novo Despertar, mas nos EUA o filme foi fracasso de bilheteria, ao estrear num circuito bem limitado, de filmes de arte. Resta saber se fora dos EUA o longa conseguirá superar a rejeição ao ator e obter reconhecimento. / LUIZ CARLOS MERTEN

UM NOVO DESPERTAR

Nome original: The Beaver. Direção: Jodie

Foster (EUA/ 2010, 100 min.). Elenco: Jodie

Foster, Mel Gibson. Estreia prevista para sexta.

O BARDO QUE FAZ RIR

Última peça escrita por William Shakespeare, A Tempestade merece nova montagem. Traduzido por Barbara Heliodora, que prima por preservar rimas e métricas originais, o texto será encenado em versão integral. Sem cortes ou adaptações. Marcelo Lazzarato é quem conduz a encenação. O diretor - que recentemente levou ao palco Do Jeito que Você Gosta, outra das comédias do bardo - agora comanda a super produção, que tem Carlos Palma e Paulo Goulart Filho no elenco e trilha de André Abujamra. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

A TEMPESTADE

Quando: De 27/5 a 26/6. Onde: Teatro Raul

Cortez. Rua Dr. Plínio Barreto, 285, Bela Vista,

telefone 3254-1631. Quanto: R$ 40.

NO BALANÇO DO ZECA

Dirigido por Sérgio Cabral, o pai, o maior do samba na atualidade aterrissa na cidade neste final de semana. Além de levitar entre o samba clássico e o moderno e dialogar com seus contemporâneos, Zeca é intérprete único. /JOTABÊ MEDEIROS

ZECA PAGODINHO

Quando: Sexta e sábado, às 22 h. Onde: Credicard Hall. Avenida das Nações Unidas, 17.955, telefone 4003-6464. Quanto: R$ 70 a R$ 200.

COLETIVA PERUANA

Um panorama da arte contemporânea peruana, produzida entre os anos 1960 e até hoje, representada na coleção do Museu de Arte de Lima, é o mote da mostra que será aberta no sábado na Estação Pinacoteca. Arte Al Paso exibe obras de 36 artistas, entre eles, Armando Andrade Tudela (foto), apresentando criações no campo da pintura, escultura, vídeo, foto e da instalação. / CAMILA MOLINA

ARTE AL PASO - MUSEO DE LIMA

Quando: De 28/5 a 31/7; terça a domingo, 10/18h.

Onde: Estação Pinacoteca. Largo General Osório, 66, 3335-4990. Quanto: R$ 6 (grátis aos sábados).

ANTOLOGIA EM SKA

Na já tradicional festa Seleta Coletiva, a Orquestra Brasileira de Música Jamaicana mostra músicas de seu disco Volume I. Arranjos de ska e dub para temas como Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso) e Nanã (Moacir Santos). / LUCAS NOBILE

ORQUESTRA BRASILEIRA DE MÚSICA JAMAICANA

Quando: Quinta, 23 h. Onde: Studio SP (R. Augusta, 591, tel. 3129-7040). Quanto: R$ 15 a R$ 25.

BAILADO ACROBÁTICO

Conhecida por revolucionar a cena norte-americana nos anos 1970, a companhia Pilobolus está de volta ao Brasil. Desta vez, o grupo mostra sua combinação de dança e acrobacia em cinco

coreografias inéditas no País. / M.E.M.

PILOBOLUS DANCE THEATRE

Quando: Terça e quarta, às 21 h. Onde: Teatro Bradesco. Bourbon Shopping. R. Turiaçu, 2.100, 3º piso, Pompeia, 3670-4121. Quanto: R$ 90/180.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.