Seleção da Semana

CÓPIA FIEL

, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2011 | 00h00

Direção: Abbas Kiarostami Gênero: Drama (2010, 106 min.) Elenco: Juliette Binoche e William Shimell. Estreia prevista para a sexta-feira

DÚVIDA EM VEZ DE CERTEZAS

No ano passado, as lágrimas de Juliette Binoche por Jafar Panahi fizeram a maior sensação no Festival de Cannes. Foi durante a tradicional coletiva que as equipes dos filmes concorrentes concedem após a primeira exibição das obras selecionadas. No final, Cópia Fiel, de Abbas Kiarostami, ganhou justamente o prêmio de melhor atriz. Alguns críticos reclamaram. Juliette estava no cartaz do festival, suas lágrimas haviam sido exploradas além da conta pela mídia de todo o mundo.

Até que ponto isso influenciou o júri? Entrevistada pelo Estado, a atriz defendeu-se dizendo que seu gesto fora espontâneo e que não havia nele nada de calculado. Nenhuma intenção política. Apenas solidariedade, um valor em desuso no mundo globalizado, Juliette provocou. Cópia Fiel é a grande estreia anunciada da próxima sexta-feira nos cinemas brasileiros. O filme já integrou a programação da Mostra no ano passado.

O novo filme de Abbas Kiarostami é um dos mais elaborados da carreira do grande autor iraniano que recebeu a Palma de Ouro em Cannes por O Gosto da Cereja. Ele segue um casal. Juliette possui uma galeria de arte numa pequena cidade da Toscana. Ela vai à conferência de um filósofo (William Shimell), que discute o valor ou a importância da cópia no mercado de arte (e na própria vida). Os dois conversam, caem na estrada e, de repente, a ligação parece não ter nada de fortuita. Eles talvez sejam casados, e há 15 anos.

Kiarostami não esclarece nada. Ele joga com a confusão do público. Em vez de certezas, serve dúvidas numa das mais belas paisagens do mundo. Existem ecos de um clássico pós-neo-realista, Romance na Itália, de Roberto Rossellini, com Ingrid Bergman e George Sanders, lançado em DVD como Viagem na Itália. Cinéfilo de carteirinha deve se preparar para Kiarostami revendo a obra-prima de Rossellini. / LUIZ CARLOS MERTEN

STICK MEN

Quando: sábado (19) às 21 h e domingo (20), às 23 h. Onde: Sesc Belenzinho, Rua Padre Adelino, 1.000, telefone. 11-2076-9700. Quanto: R$ 32

AS VIAGENS DO STICK

Chapman Stick é uma guitarra convencida de que é um piano. São doze cordas distribuídas sobre uma tábua para que os acordes possam ser pressionados com os dedos, ampliando as possibilidades. É o fetiche de roqueiros progressivos como Tony Levin, ex-baixista do King Crimson que se apresentará no Sesc Belenzinho no próximo fim de semana. Levin vem acompanhado do Stick Men, que faz viagens pesadas e complexas com o auxílio de um baterista e mais um Stick Player. Rock and roll cabeçudo. / ROBERTO NASCIMENTO

MACACO BONG E CONVIDADOS

Quando: Quinta (17), às 23 h. Onde: Studio SP - Rua Augusta, 591, telefone 3129-7040.

Quanto: R$ 25 (R$ 15, com nome na lista)

MISTURA INFLAMÁVEL

Maior destaque do rock instrumental brasileiro da atualidade, o trio Macaco Bong divide o palco com o rapper Emicida e o produtor Astronauta Pinguim na estreia do projeto em que receberá convidados uma vez por mês. / LUCAS NOBILE

SÃO PAULO: UMA INTERPRETAÇÃO

Quando: dia 15, terça-feira. Onde: Livraria da Vila da Lorena (Alameda Lorena, 1.731, Jardins. A partir das 19 horas). Quanto: Grátis

PALCO PAULISTANO

O arquiteto Jorge Wilheim vê as cidades com um olhar arguto. No livro São Paulo: Uma Interpretação (Editora Senac São Paulo), por exemplo, que ele lança na terça-feira na Livraria da Vila da Alameda Lorena, a cidade é vista como um palco e seus habitantes, atores. A partir dessa perspectiva teatral, Wilheim analisa a integração entre as pessoas e o espaço físico que as acolhe. Uma oportunidade para melhorar a condição de vida. UBIRATAN BRASIL

LEONILSON

Quando: de 17/3 a 29/5. Onde: Itaú Cultural. Avenida Paulista, 149, tel. 2168-1776. 3ª a 6ª, 9 h/20 h; sáb. e dom., 11 h/20 h (fecha 2ª). Quanto: Grátis

NARRATIVAS ÍNTIMAS

Sob o Peso dos Meus Amores é o título da retrospectiva de Leonilson (1957-1993), que o Itaú Cultural inaugura quarta. A mostra reúne 318 obras (detalhe) do artista, destacando os bordados e desenhos pelos quais ficou conhecido. / CAMILA MOLINA

PINOKIO

Quando: Estreia dia 17/3. 5ª a sáb., 21 h. Dom., 20 h. Onde: Club Noir (Rua Augusta, 331, telefone 3255-8448). Quanto: R$ 10.

UM OUTRO OLHAR

Responsáveis pelo notável Tríptico, um dos destaques da temporada de 2010, o diretor Roberto Alvim e sua cia. Club Noir estreiam Pinokio, uma versão personalíssima para a clássica história de Carlo Collodi. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.