Seleção da semana

TIO BOONMEE, QUE PODE RECORDAR SUAS VIDAS PASSADAS

, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2011 | 00h00

Direção: Apichatpong Weerasethaku. Gênero: Drama (113 minutos). Estreia prometida para sexta.

OS MISTÉRIOS DA NATUREZA

O nome do filme pode parecer estranho e o do cineasta mais ainda. Mas, se você nunca ouviu falar de Tio Boonmee, que Pode Recordar suas Vidas Passadas, ou do diretor Apichatpong Weerasetakuhl, não sabe o que está perdendo. O filme ganhou a Palma de Ouro em Cannes do ano passado e estreia na sexta-feira. É estranhíssimo. De uma beleza rara no desleixado cinema contemporâneo.

No circuito cinéfilo "cordon bleu", Apichatpong é mais conhecido que nota de dez reais. Os mais íntimos chamam-no Joe, para driblar a dificuldade do nome. E já conhecem, pelo menos, outra obra fundamental desse malaio de 39 anos - Mal dos Trópicos, que também foi apresentado no Brasil.

Apichatpong, ou Joe, se você preferir, é aquele tipo de cineasta que deposita sua fé artística mais na criação de climas e ambientes sugestivos que na narração de uma boa história com princípio, meio e fim. Faz filmes que parecem às vezes evocações espirituais e, em outras, instalações de arte contemporânea. Nenhum acaso nestas duas aproximações - sua visão de mundo contém traços espiritualistas e animistas e, de fato, é também artista plástico de sucesso, com obras expostas em galerias de prestígio. Seu barato, como artista, é sacar o mistério que existe na natureza. E mais: no contato do homem com a natureza que o contém e o transcende. Essa é a base do seu espiritualismo.

Seu personagem Tio Boonmee, por exemplo, é um doente dos rins, que passa seus últimos dias na floresta em companhia das pessoas que ama. Sua falecida mulher aparece para ele, e também seu filho morto, que retorna sob uma forma não-humana. A cada passo de sua despedida, lembra-se de suas vidas passadas, sob forma humana ou animal.

Como tudo o que é novo, o trabalho de Apichatpong também desperta controvérsia. Cria adoradores e detratores. Na França, é amado pelos Cahiers du Cinéma e detestado pela revista concorrente, a Positif. Vá ver esse filme singular e tire suas próprias conclusões. / LUIZ ZANIN ORICCHIO

OS TRÊS PORQUINHOS

Quando: Sáb, e dom., às 16 horas. A partir do dia 22/1. Onde: Centro da Terra. Rua Piracuama, 19, Sumaré, tel: 3675-1595. Quanto: R$ 30 e R$ 15

PRÁTICO, CÍCERO E...

Volta ao cartaz no sábado um grande sucesso da Cia. Le Plat Du Jour, Os Três Porquinhos. Alexandra Golik e Carla Candiotto tiveram a grande sacada de contar a história dos porcos pela visão de dois acougueiros bem divertidos, Pipo e Pepe. Quando elas entram na fábula propriamente dita, fazem um jogo delicioso de troca de papéis: ambas interpretam todos os personagens, alternadamente. Não é corajoso que apenas duas atrizes façam uma peça que tem três protagonistas (Prático, Cícero e Heitor)? Confira. / DIB CARNEIRO NETO

MPB-4

Quando: Sábado (22/1), às 21h, e domingo (23/1), às 18h. Onde: Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, telefone 3871-7700. Quanto: R$ 7 a R$ 28.

QUATRO EM UM

Um dos grupos vocais mais antigos da música brasileira, o MPB-4 comemora 45 anos de carreira em show que mistura clássicos do seu repertório e canções inéditas, que integrarão o novo tralho, Contigo Aprendi. / ELIANA SILVA DE SOUZA

MOSTRA CINEMA DE MODA

Quando: A partir de 3ª feira. Onde: Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112, centro, tel. 3113-3651). Quanto: Grátis

TELA FASHION

A proximidade da São Paulo Fashion Week, que começa no dia 28, incentiva a organização de uma mostra que vem se tornando tradicional: Mostra Cinema de Moda, no Centro Cultural Banco do Brasil. O evento começa em alto estilo, com Bonequinha de Luxo, em que uma das musas da beleza cinematográfica, Audrey Hepburn, veste tubinho preto desenhado pela grife francesa Givenchy. Destaque ainda para Violência e Paixão, de Visconti. UBIRATAN BRASIL

JOHN DIGWEED

Quando: Quinta, às 23 h. Onde: D-Edge. Rua Auro Soares de Mora Andrade, 141, telefone 3666-9022. Quanto: R$ 50/ R$ 100.

DEEJAYOSSAURO

O club D-Edge reembarca o DJ inglês John Digweed, remanescente da era de ouro dos DJs (foi um dos primeiros superstars das pickups, ao lado de John Oakenfold e Sasha). Tem 44 anos, 32 de carreira, 10 anos de vindas ao Brasil. / JOTABÊ MEDEIROS

NAOTEMNEMNOME

Quando: Quarta-feira a sábado, às 20h30 - até 19/2. Onde: Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, telefone 3871-7700. Quanto: R$ 12.

EM CENA, A PLATEIA

No espetáculo carioca NãoTemNemNome é o público quem dita as histórias que serão levadas ao palco. É só depois de se reunir com os espectadores e colher seus depoimentos que o grupo organiza sua dramaturgia. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.