Seleção da Semana

O CINEMA DE PEDRO COSTA

, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2010 | 00h00

Quando: De 1º a 12/9. Onde: CCBB: Rua Álvares Penteado, 112, 3113-3651. Quanto: R$ 4. Programação no site www.bb.com.br/cultura

OUSADO E ORIGINAL

O grande barato desta semana, para os cinéfilos, não é a estreia de nenhum blockbuster manjado, cheio de efeitos especiais e criatividade zero. Pelo contrário, é a obra de um cineasta pouco conhecido mas de fato original, que trabalha com parcos recursos e faz filmes que não se parecem a nenhum outro. Trata-se do português Pedro Costa, que ganha retrospectiva completa de 1.º a 12 de setembro no Centro Cultural Banco do Brasil.

Na mostra estarão presentes os sete longas e os três curtas que compõem a totalidade da sua filmografia, pequena porém compacta. Títulos mais divulgados, como Juventude em Marcha e Ossos, e outros pouco manjados como Ne Change Rien e Quarto de Lava, ajudam a compor o surpreendente mosaico da maneira de pensar e ver deste cineasta nascido em Lisboa, em 1959, e que mantém relação um tanto clandestina com o circuito comercial.

A programação inclui ainda um debate com o diretor, na quarta-feira, dia 6, e uma pequena retrospectiva de filmes de outros autores, escolhidos a dedo por Pedro Costa.

Nesta "carta branca" que lhe foi oferecida, podem-se detectar algumas de suas afinidades eletivas, como o extraordinário Gente da Sicília, do casal Danielle Huillet e Jean Marie Straub, e a obra coletiva O Estado do Mundo, na qual figuram Apichatpong Weerasetakhul e o brasileiro Vicente Ferraz, entre outros. Aliás, sobre o trabalho de Huillet-Straub, há na mostra o documentário Onde Jaz o Teu Sorriso, em que Costa acompanha a montagem da terceira versão de Gente da Sicília e observa a criativa (e às vezes exasperada) troca de ideias entre os dois diretores. Uma aula de cinema. Assim como são todos os documentários de Costa, como O Quarto de Vanda e A Caça ao Coelho de Pau, tendo como centro o bairro de Fontainhas, em Lisboa, habitado em especial por imigrantes cabo-verdianos. / LUIZ ZANIN ORICCHIO

MOMBOJÓ

Quando: Sexta (3) e sábado (4), às 21h30.

Onde: Choperia do Sesc Pompeia, Rua Clélia, 93, tel. 3871-7700. Quanto: R$ 16 (R$ 8, meia).

REFLETIR E DANÇAR

Em junho, quatro anos após seu último disco, o Mombojó lançou seu terceiro álbum, Amigo do Tempo, no Recife. Quase três meses depois, esse forte candidato a um dos melhores discos do ano chega finalmente a São Paulo. De maneira sensata, o local escolhido foi a choperia do Sesc Pompeia, onde o público fica em pé para dançar. Pode-se esperar um show embalado com belas letras e um instrumental muito bem feito, com direito aos hits Papapa, Casa Caiada e a bela Entre a União e a Saudade. / LUCAS NOBILE

CARMELA GROSS

Quando: De 4/9 a 11/11, 3ª a dom., 10 h/18 h

Onde: Estação Pinacoteca, Largo General Osório, 66, tel. 3335-4990. Quanto: R$ 6 (grátis aos sáb.).

CORPO DE IDEIAS

A partir de sábado, a artista Carmela Gross apresenta na Estação Pinacoteca mostra que perpassa sua trajetória entre 1965 e 2010 por meio de 16 obras emblemáticas, entre elas, Uma Casa, de 2006 e pertencente ao museu. / CAMILA MOLINA

TRAVESSURAS DE MÃE

Quando: quarta-feira, dia 1º, das 18h30 às 21h30. Onde: Livraria da Vila da Fradique, Rua Fradique Coutinho, 915, Pinheiros.

DIÁRIO DE MÃE

Atriz talentosa, Denise Fraga gosta de exercitar seu bom humor também na literatura. Na quarta-feira, ela lança, na Livraria da Vila da Fradique Coutinho, o livro Travessuras de Mãe (Globo), conjunto de 72 crônicas sobre os problemas, as vitórias e até mesmo a loucura de se criar e educar os filhos. As histórias baseiam-se principalmente em sua experiência como mãe de dois garotos que estão chegando

à adolescência. UBIRATAN BRASIL

1001 FANTASMAS

Quando: sábados e domingos, 16 h. Onde: Sala B do Teatro Alfa. R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. 5693-4000. Quanto: R$ 24. Até 3/10.

SUSTOS CAPRICHADOS

Nunca a Cia. O Grito caprichou tanto em uma produção quanto nesta 1001 Fantasmas, baseada em livro de Heloísa Prieto. Repare no cenário e na iluminação de Marisa Bentivegna e nos figurinos e adereços de Telumi Hellen. / DIB CARNEIRO NETO

PLATAFORMA ESTADO DA DANÇA

Quando: de 1º a 12/9. Onde: CCSP. Rua Vergueiro, 1.000, tel. 3397-4002. Para outros endereços consulte www.teatrodedanca.org.br.

MARATONA DE GESTOS

Em sua segunda edição, o Plataforma Estado da Dança apresenta 15 coreografias. Três palcos diferentes da cidade devem reunir destaques da cena paulista, como Rútilo Nada, de Wellington Duarte e Donizeti Mazonas. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.