Seleção da Semana

ORKESTRA RUMPILEZZ E ED MOTTA

, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2010 | 00h00

Quando: sábado, 21h, e domingo (8/8), 18h. Onde: Teatro Paulo Autran/Sesc Pinheiros. Rua Paes Leme, 195, tel. 11 3095-9400. Quanto: R$ 5 a R$ 20.

CANDOMBLÉ COM PÉ NO JAZZ

Uma das expressões musicais mais engenhosas dos últimos anos, em particular da Bahia, é a Orkestra Rumpilezz, criada pelo maestro, compositor e saxofonista Letieres Leite. No próximo fim de semana, os paulistanos e visitantes têm mais uma ótima oportunidade para conferir a fusão de candomblé com jazz que a orquestra gravou em seu primeiro e homônimo álbum em 2009. Entusiasta e convidado do projeto, o cantor Ed Motta - autor da única faixa do CD que não tem a assinatura de Letieres, Balendoah - participa dos shows de sábado e domingo. O caráter inovador da experiência de Letieres reside na união das bases sonoras de diferentes toques do candomblé com o jazz e o samba-reggae. As referências estão explícitas no nome da orquestra, formada por 5 instrumentos de percussão e 15 de sopros: rum, pi e lé são os nomes dos atabaques (grave, médio e agudo) utilizados nos rituais de candomblé; os dois zz vêm do jazz.

Para Ed Motta, Letieres é "o grande progressista da música baiana" desde Dorival Caymmi (1914-2008). Outro ícone da afro-brasilidade que os une é o maestro Moacir Santos (1926-2006), influência marcante em Motta e entidade evocada nos arranjos vigorosos que Letieres criou para a Rumpilezz. Motta diz que o baiano é "herdeiro direto" de Santos, embora suas referências sejam outras - desde as orquestras pernambucanas de frevo até o alagoano Hermeto Pascoal, no aspecto da composição. Com esse trabalho, Letieres homenageia mestre Antonio Ferreira da Anunciação, "um dos pioneiros no encontro da música da Bahia com o jazz", percussionista que tocou com Hermeto; a pesquisadora e etnomusicóloga Emília Biancardi; e Neguinho do Samba (1954-2009), responsável pela formatação do samba-reggae. Para Letieres, grupos como o Olodum, que Neguinho comandou, "são caules dessa grande árvore, cujo tronco é o candomblé". / LAURO LISBOA GARCIA

FESTIVAL I LOVE JAZZ

Quando: Terça a quinta, às 20h30. Onde: Auditório Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Pq. do Ibirapuera, 3629-1014. Quanto: R$ 100.

HEY, JUDY!

Indicada para o Grammy, a pianista e cantora Judy Carmichael é a mais destacada atração do festival I Love Jazz, que tem ainda Leroy Jones, Antigua Jazz Band, Claude Tissendier, Dixie 5, Pink Turtle, Vitor Biglione e Elza Soares. Judy é expert em stride piano e em Fats Waller, o que já a torna obrigatória. Em seu mais recente CD, relê e reinventa coisas como All the Cats, hit de Peggy Lee, com letra de Jessica Molaskey (mulher de John Pizzarelli). Judy é ensaísta e educadora, e tem uma master class no programa. Corram. / JOTABÊ MEDEIROS

A ORIGEM

Nome original: Inception. Direção: Christopher Nolan. Gênero: Ação (EUA/ 2010, 148 minutos). Quando: estreia prometida para sexta.

CINEMÃO INTELIGENTE

Está sendo um grande ano para o cinemão e após a revolução técnica de Avatar, Christopher Nolan prova agora que inteligência é tudo. A Origem, com Leo DiCaprio, que estreia sexta, já é um dos grandes filmes de 2010. / LUIZ CARLOS MERTEN

ATUAÇÃO ÉPICA

Quando: Terça-feira, às 21h. Onde: Centro Cultural São Paulo. Rua Vergueiro, 1.000, 3397-4002. Quanto: Grátis - necessário inscrição prévia.

TEATRO ÉPICO

Como definir uma atuação épica no teatro? Eis a missão de Esther Góes, José Fernando de Azevedo e Sérgio de Carvalho que, sob a mediação de Sebastião Milaré, vão discutir o assunto na terça-feira, às 21 horas, na Jardel Filho do Centro Cultural São Paulo. O colóquio vai trazer técnicas e procedimentos do teatro épico, segundo teorias de Bertolt Brecht. Em seguida, haverá um debate. / UBIRATAN BRASIL

REBECCA HORN

Quando: de 3/8 a 3/10. Onde: CCBB. R. Álvares Penteado, 112, telefone: 3113- 3651. 10h/20h

(fecha 2ª). Quanto: Grátis.

REBELIÃO EM SILÊNCIO

A primeira mostra da consagrada artista alemã Rebecca Horn no Brasil chega agora a São Paulo reunindo seleção de suas instalações, filmes e objetos. E para marcar a abertura, amanhã, ela realiza palestra/performance às 18 h. / CAMILA MOLINA

ORQUESTRA SINFÔNICA DE HEIDELBERG

Quando: Segunda e terça-feira, às 21 h. Onde: Sala São Paulo. Praça Júlio Prestes, 16, telefone: 3815-6377. Quanto: R$ 75 a R$ 200.

OUVIDOS CLÁSSICOS

O maestro Thomas Fey comanda os músicos da Sinfônica de Heidelberg em programa feito na medida para ouvidos clássicos: serão executadas obras de Haydn, Mozart e Salieri. Destaque para os solos ao piano de Haiou Zhang. / JOÃO SAMPAIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.