Seleção da Semana

UMA NOITE EM 67

, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2010 | 00h00

Direção: Renato Terra, Ricardo Calil. Gênero: Documentário (85 minutos). Censura: Livre.

Quando: Estreia prometida para sexta.

UMA GUERRA MUSICAL

Na atual onda de documentários musicais que assola o cinema brasileiro - com ótimas contribuições para o entendimento da cultura e a excelência da arte cinematográfica no País -, mais um título importante vem se somar a outro em cartaz. Estreia na próxima sexta, dia 30, Uma Noite em 67. O filme realizado em parceria por Ricardo Calil e Renato Terra reconstitui o clima de guerra no Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, em 1967. Soma-se a Dzi Croquettes, de outra dupla, Tatiana Issa e Raphael Issa, já em exibição nos cinemas.

Ambos passaram por festivais, colecionando prêmios. Dzi Croquettes retraça a trajetória do grupo de artistas libertários que afrontou - e enfrentou - a ditadura do regime militar com seu comportamento, sua simples presença cênica, mas cuja arte, mistura de canto, dança e performance, era também importante, vanguardística até. As vanguardas, no plural, também estão em choque no documentário de Calil e Terra.

Naquele ano, competiam duas tendências que não eram só musicais, no Festival da Record. Havia a canção de protesto, a música engajada de Geraldo Vandré e Chico Buarque, havia a experimentação de Edu Lobo e também a revolução dos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, que integravam a guitarra elétrica à MPB e colhiam todo tipo de reação. Houve até um protesto contra a guitarra, que reuniu nomes consagrados, todos protestando contra o que parecia a invasão colonialista - imperialista? - da música popular no País.

A guitarra vinha para alienar, ocupar corações e mentes nesta outra frente de batalha? O Festival da Record foi um embate ideológico, não apenas musical. Ricardo Calil e Renato Terra reconstituem aquela noite memorável de 1967. Ponteio, Domingo no Parque, Roda Viva e Alegria, Alegria faziam história. Talvez fosse difícil perceber, mas quem iria ganhar era a MPB. / LUIZ CARLOS MERTEN

FELLINI

Quando: Quinta-feira, às 23h. Onde: Comitê (700 lugares). Rua Augusta, 609, Centro, telefone: 3237-3068. Quanto: R$ 30.

FELLINI VIVE DE NOVO

Quem acha que a mistura de rock com MPB de Los Hermanos é muito original pode constatar que o Fellini já fazia isso antes até dos Paralamas do Sucesso. Os tropicalistas, Jorge Ben, Erasmo Carlos e Novos Baianos já tinham experimentado essas fusões, mas o Fellini deu uma nova cara ao estilo, ligando o gosto pela música brasileira às novidades do pós-punk, na base do "do it yourself". Cadão Volpato e Thomas Pappon são nomes lendários dessa vertente e agora comemoram os 25 anos da banda. / LAURO LISBOA GARCIA

KEITH HARING

Quando: de 31/7 a 5/9. Onde: Caixa Cultural. Galeria Vitrine da Paulista. Av. Paulista, 2.083, Conjunto Nacional, 3321-4400. Quanto: Grátis.

ARTE DE KEITH HARING

Seleção de 94 obras do artista americano Keith Haring (1958-1990), que ganhou projeção pelas criações que realizava nas ruas de Nova York, compõe a mostra que será aberta no sábado na Caixa Cultural da Avenida Paulista. / CAMILA MOLINA

RABISCO - UM CACHORRO PERFEITO

Quando: Hoje, às 15h30. Onde: Sesc Santana. Teatro. Avenida Luís Dumont Villares, 579, 2971-8700. Quanto: R$ 5.

O CÃO MODERNINHO

Você tem mais uma chance de ver o criativo Rabisco - Um Cachorro Perfeito: hoje (domingo), às 15h30. É a atração infantil mais "contemporânea" em cartaz, no que diz respeito à inovação de linguagem, ao uso de múltiplos recursos cênicos e audiovisuais. Mas não se assuste. Rabisco sabe tirar o melhor proveito da tecnologia, sem ser grosseiro ou estrambótico, sem deixar de ser poético e de emocionar. Inspirando-se nos trabalhos do grupo holandês Hotel Modern, o diretor Sidnei Caria usa videocenários e os chamados puppet toys. / DIB CARNEIRO NETO

EMOÇÕES BARATAS

Estreia: dia 29/7, às 21 h. Onde: Estúdio EMME (Av. Pedroso de Morais, 1.036, Pinheiros, tel. 3031-3290). Quanto: de R$ 50 a R$ 80.

EM RITMO DE CABARÉ

Passados mais de 22 anos, José Possi Neto remonta um de seus espetáculos de maior sucesso: Emoções Baratas. No musical, que ficou em cartaz por mais de dois anos, o diretor recria o ambiente de um clube de jazz. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

RE-UNIÃO

Quando: Sexta-feira, à 0 h. Onde: Comitê (700 lugares). Rua Augusta, 609, telefone: 3237-3068. Quanto: R$ 30.

GROOVERIA

Freestyle. A face mais suingada do nosso hip-hop se reúne no Comitê Club. Os MCs cariocas Black Alien e BNegão e o DJ paulista Zegon fazem o show Re-União. Ex-Planet Hemp, misturam ragga, dancehall, samba. Laboratório de sons. / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.