Seleção da Semana

À PROVA DE MORTE

, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2010 | 00h00

Nome original: Death Proof. Direção: Quentin Tarantino. Gênero: Suspense (114 minutos).

Elenco: Kurt Russell, Zoe Bell. Censura: 16 anos.

DESPIDAS PARA MATAR

Na terça-feira, começa no Centro Cultural São Paulo, com o sugestivo título de Rock Tarantino, um ciclo sobre os filmes que influenciaram Quentin Tarantino. Na própria terça ocorre a pré-estreia de À Prova de Morte, longa anterior a Bastardos Inglórios, cujo lançamento tardio será na sexta-feira, dia 16. Foi, aliás, o sucesso de público e crítica da aventura de guerra com Brad Pitt que resgatou esta outra fantasia, de terror, que Tarantino fez como parte de um díptico com seu amigo Robert Rodriguez, que assina Planeta Terror.

Nos EUA, os dois filmes foram exibidos simultaneamente, integrando o mesmo programa intitulado Grindhouse. No Brasil, À Prova de Morte deveria ter sido lançado pela Europa, mas a distribuidora abriu mão dos direitos e os repassou à PlayArte, que agora coloca o Tarantino de 2007 ao alcance do público. O projeto nasceu do desejo dos dois cineastas de homenagearem os filmes trash que os atraíam - e foram responsáveis por sua formação. Lançado no Festival de Cannes, À Prova de Morte teve direito a tapete vermelho e sessão de gala, mas só a ala bem jovem da crítica assimilou de imediato a extravagância perpetrada pelo autor de Cães de Aluguel e Pulp Fiction (Tempo de Violência).

Três amigas saem para a balada. São belas, sexys e emancipadas. Despertam o desejo dos homens, mas também atraem o psicopata Stuntman Mike, que libera seu desejo de matar a bordo de um carro indestrutível. Tarantino reabre a vertente do filme de estrada, mas o trata em chave de terror. Ou seja, não é um road movie, mas um slasher movie, com sangue, violência, garotas seminuas e um assassino sádico. Prepare-se para ver choques de carros, perseguições e membros decepados. Tarantino, porém, não fica só na clonagem de obras alheias nem na paródia, o que seria um recurso fácil. Na obra do diretor, a exemplo de Jackie Brown e Kill Bill, o filme é "feminista". / LUIZ CARLOS MERTEN

PROGRAMA DE EXPOSIÇÕES DO CCSP

Quando: de 17/7 a 5/9. Onde: Centro Cultural São Paulo. Rua Vergueiro, 1.000, Paraíso, telefone: 3397-4002. Quanto: Grátis.

DIÁLOGO DE OBRAS

O Centro Cultural São Paulo (CCSP) inaugura no sábado a primeira mostra de 2010 de seu tradicional Programa de Exposições que, desta vez, apresenta obras dos selecionados Nara Amélia, Rafael Assef, Gustavo Ferro e Renata Ursaia. Como é de costume do projeto, criado em 1990, os artistas escolhidos por comissão exibem seus trabalhos ao lado de criadores convidados e consagrados. Desta vez, participam a pintora carioca Cristina Canale e o paulistano Eduardo Climachauska. / CAMILA MOLINA

VIDA

Quando: de 17/7 a 8/8 (Sexta e sábado, 21 h; domingo, 19h30). Onde: Sesc Santana. Avenida Luiz Dumont Villares, 579, 2971 8700. Quanto: R$ 20.

MERGULHO EM POESIA

Aclamada no Festival de Curitiba, Vida, da Cia. Brasileira de Teatro, chega a São Paulo. Com direção de Marcio Abreu, a montagem parte da obra de Paulo Leminski para construir a sua dramaturgia. / MARIA EUGÊNIA DE MENEZES

DUDU TSUDA

Quando: Terça, às 23 h. Onde: Studio SP. Rua Augusta, 591, Consolação, telefone: 3129-7040. Quanto: Grátis.

OFICINA DO DUDU

Os teclados de Dudu Tsuda sempre estiveram a serviço do coletivo: Jumbo Elektro, Trash pour 4, Pato Fu, Cérebro Eletrônico. Aí Dudu fugiu do controle e agora cria instalações sonoras em voo-solo. Essa faceta de arquiteto de sons apareceu com vigor na Virada Cultural, na Luz, onde se apresentou. Agora, o show no Studio SP, na terça, mostra o que de mais relevante Dudu aprendeu das trajetórias de Aphex Twin, Moby, Burt Bacharach e Ennio Morricone. Inventivo. /JOTABÊ MEDEIROS

O ASTRONAUTA

Quando: Sábados e domingos, às 16 h. Até 8/8. Onde: Teatro Cleyde Yáconis. Av. do Café, 277, metrô Conceição, 5070-7018. Quanto: R$ 10.

BOWIE PARA MENORES

O diretor Alvise Camozzi fala de astrologia e mitologia com um desembaraço de encantar toda a família, em O Astronauta. O texto é baseado em letras de canções de David Bowie. E o boneco Ziggy faz a alegria da plateia. / DIB CARNEIRO NETO

ENCONTRO COM AUTORES

Quando: Segunda (12), às 19 h. Onde: Teatro Eva Herz da Livraria Cultura. Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional, 3170-4033. Quanto: Grátis.

PAPO DE FINALISTAS

Reinaldo Moraes e Raimundo Carrero participam amanhã da série de encontros entre os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. A mediação será de Cadão Volpato. / UBIRATAN BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.